Quincy Jones leva prodígios do jazz a Montreux

Quincy Jones levou o futuro ao famoso festival de Montreux, e jovens músicos do Azerbaijão, Cuba, América do Norte e Eslováquia roubaram a cena depois da apresentação dos veteranos Bobby McFerrin e Chick Corea.

STE, Reuters

02 de julho de 2012 | 17h53

"Este é o futuro, os jovens, eles viraram (a música) pelo avesso e de ponta-cabeça ... Está tudo misturado, bebop e hip-hop", disse o lendário produtor norte-americano à plateia que lotava o Auditório Miles Davis.

"Esses são os melhores talentos de todo o planeta. Eles me piram por serem tão jovens", disse Jones já no começo da madrugada de segunda-feira, ao apresentar o seu "Quincy Jones Global Gumbo Project".

O músico de 79 anos de idade e 65 de carreira disse estar cerca de 20 quilos acima do peso, e por isso acompanhou o show sentado numa cadeira sobre o palco, vestindo terno branco e chapéu preto com aba dourada.

"Nunca me diverti tanto", brincou.

O festival de Montreux, um dos principais eventos musicais do verão europeu, vai até o dia 14, com shows de Bob Dylan, Katie Melua, Hugh Laurie, Gilberto Gil e uma noite disco produzida por Nile Rodgers e Mark Ronson.

Tudo o que sabemos sobre:
MUSICAQUINCYMONTREUX*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.