Rolando de Freitas/Estadão
Rolando de Freitas/Estadão

Queen, Alicia Keys e Ricky Martin entram para o acervo histórico da Biblioteca do Congresso dos EUA

A decisão é uma espécie de chancela: agora, as músicas passam a oficialmente fazer parte da memória cultural do país

Redação, AP

13 de abril de 2022 | 11h42

Canções e álbuns do Queen, de Alicia Keys de Ricky Martin foram incluídas no registro de gravações da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos. A decisão é uma espécie de chancela: no momento em que são escolhidas para integrar o acervo da instituição, as músicas passam a oficialmente fazer parte da memória cultural do país, sendo consideradas clássicos atemporais.

Do Queen foi selecionado o álbum Bohemian Rhapsody; de Alicia Keys, seu primeiro disco, Songs in A Minor, que contava com músicas como Fallin. Ricky Martin entrou para o acervo com Livin' la Vida Loca. Outros artistas incluídos foram Bonnie Rait (Nick of Times) e Linda Ronstadt (Canciones de mi Padre).

A escolha também inclui coletivos de artistas como oWu Tang, os discos do Buena Vista Social Club e a canção Reach Out, I'll Be There, da banda Four Tops, criada nos anos 1960 e liderada por Levi Stubbs.

"Quando gravamos a música, devo admitir que não sabíamos nem se ela deveria ou não estar no disco. Então, com certeza nunca acreditamos que seria escolhida para a lista de gravações históricas da Biblioteca do Congresso", disse Duke Fakir, último remanescente do grupo.

A biblioteca também em sua lista gravações fora do mundo da música. Entre eles, foram selecionadas este ano a coletânea de discursos do presidente Franklin D. Roosevelt e a narrações do 715º home-run do jogador de baseball Hank Aaron, feita por Milo Hamilton.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.