Queen acerta com Universal e causa mais uma derrota para EMI

A banda britânica Queen assinou com a gravadora Universal Music Group depois de quase 40 anos na EMI e já começou os preparativos para o lançamento de versões remasterizadas de álbuns do estúdio antigos em 2011.

MIKE COLLETT-WHITE, REUTERS

08 de novembro de 2010 | 12h09

A mudança, que veio a público pela primeira vez em maio e foi confirmada nesta segunda-feira, é uma grande derrota para a EMI, que perdeu artistas como os Rolling Stones, Paul McCartney e o Radiohead desde que o grupo foi assumido pelo fundo de investimentos Terra Firma, em 2007.

O chefe da Terra Firma, Guy Hands, também foi derrotado em um processo em Nova York no qual ele acusava o Citigroup de tê-lo enganado e o feito pagar mais do que deveria pela EMI. Ele pode ser obrigado a entregar a gravadora para o banco.

O acordo do Queen com a Universal cobre o mundo todo, menos a América do Norte, e a banda vai trabalhar com a gravadora Island Records a partir de 1o de janeiro de 2011.

"Estamos muito animados por, após todo esse tempo, estarmos embarcando em uma nova fase de nossa carreira, com uma nova gravadora, novas ideias e novos sonhos", afirmou o guitarrista Brian May.

O extravagante vocalista da banda, Freddie Mercury, morreu em 1991, e o Queen nunca mais teve o mesmo apelo popular. Mas relançamentos podem ser um ótimo negócio, e a decisão do Queen de mudar de gravadora foi tomada em um momento que pode se tornar lucrativo para a banda, que comemorará 40 anos no próximo ano.

Tudo o que sabemos sobre:
MUSICAQUEEN*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.