Putin diz que não quer pena muito dura para banda punk Pussy Riot

O presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta quinta-feira que as três garotas da banda Pussy Riot que estão sendo julgadas por uma performance de protesto na principal catedral da Rússia não deveriam ser sentenciadas com muita severidade, aumentando a esperança dos advogados de defesa esperanças de que elas poderão escapar de penas de prisão.

Reuters

02 de agosto de 2012 | 17h07

Em Londres, Putin disse a jornalistas que não havia "nada de bom" no protesto da banda, mas acrescentou, de acordo com a agência Interfax: "Apesar disso, não acho que elas devam ser sentenciadas com muita severidade por isso. Espero que o tribunal tome uma decisão correta, bem fundamentada."

As jovens poderão pegar até 7 anos de cadeia por uma performance não autorizada em fevereiro, quando entraram na Catedral de Cristo Salvador, de Moscou, subiram no altar e pediram que a Virgem Maria "derrubasse Putin".

(Reportagem de Gabriela Baczynska)

Tudo o que sabemos sobre:
MUSICAPUSSYRIOTPUTIN*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.