Puff Daddy vai mudar de nome

Era só o que faltava no pop: depois de Prince, Jorge Ben e Baby Consuelo, Puff Daddy anunciou que vai mudar de nome. O rapper, cujo nome verdadeiro é Sean Combs, disse em sua primeira entrevista desde seu julgamento, que pretende "deixar Puff Daddy para trás". Seu novo nome será P. Diddy.Cada vez mais, o produtor consegue se manter na mídia apenas tirando proveito de escândalos, revelações bombásticas e publicidade gratuita. Puffy, que conseguiu emplacar uma linha de roupas (Sean John) por conta de seu relacionamento com Jennifer Lopez, parece se preocupar com tudo menos a música, que costumava ser seu negócio principal, apesar do aspecto requentado de seu trabalho de "sampling".Em junho, por exemplo, ele pretende organizar uma cerimônia para troca de nome. "Não vai ser tão sério quanto Prince, mas quero ter um nome fresco", disse o produtor à MTV norte-americana. "P. Diddy foi o apelido que o meu chapa Notorious B.I.G. me deu anos atrás." Ele já usou o nome em algumas produções no passado.A boa notícia é que o artista antigamente conhecido como Puff Daddy disse que vai tirar dois meses de férias para "repensar a carreira e a vida pessoal". "Preciso passar um tempo sendo apenas Sean Combs", disse. Este deve ser, provavelmente, o mais longo período de reclusão do rapper, que nos últimos anos conseguiu se manter na mídia tanto pelos problemas na justiça quanto pelas festas organizadas nos Hamptons, com nomes como Donald Trump e Martha Stewart.Na entrevista, ele aproveitou para afirmar que seu julgamento foi um "esquema" que estava tentando faturar em cima de sua fama. "Existem pessoas que não querem trabalhar duro para ganhar dinheiro e não perdem oportunidades para mentir em troca de qualquer lucro", disse. Puffy foi absolvido de todas as acusações no tiroteio ocorrido em um clube nova-iorquino em 1999, mas ainda vai ter de enfrentar um processo civil. Sobre o rapper Shyne, seu protegido que depois de condenado acusou o produtor de mentir nos tribunais, ele garante que vai "resolver o problema". "Eu não abandono ninguém, vou visitá-lo na cadeia na semana que vem."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.