Puff Daddy investe alto em sua grife

Sean "Puffy" Combs está investindo mesmo em sua carreira de estilista. O rapper, que é julgado atualmente por porte ilegal de arma e tentativa de suborno, vai estar presente neste sábado no desfile de sua marca, Sean John, na Semana de Moda de Nova York. O músico teria investido uma fortuna na nova coleção da grife, que faturou US$ 100 milhões em 2000 e tem previsão de ganhar US$ 150 milhões este ano. "Estou neste jogo com Dolce & Gabbana, Tom Ford, Donatella (Versace) - no topo. Não quero ser apenas uma grife de hip-hop."O rapper pode pegar até 15 anos de prisão caso seja condenado. Várias testemunhas do julgamento disseram ter visto o músico armado na noite de 27 de dezembro de 1999, quando três pessoas foram baleadas no Club New York, em Nova York. E há outros depoimentos dos quais terá de se defender. O policial Wiliam Meyer, um dos que cuidou de Puff Daddy quando ele foi preso, disse que o motorista Wardell Fenderson teria inicialmente dito que a arma encontrada no carro do rapper era sua, mas na hora de ser fichado mudou de idéia e afirmou que não ia levar a culpa no lugar de outra pessoa.O rapper é acusado de ter tentado subornar o motorista para que ele assumisse que a arma era dele. O músico ofereceu US$ 50 mil (um anel de US$ 40 mil, dado a ele pela atriz Jennifer Lopez, foi oferecido, ainda na delegacia, na frente de policiais). Continua na próxima semana o julgamento do rapper e de seu protégé Jamal "Shyne" Barrow, além do segurança Anthony "Wolf" Jones, envolvidos no tiroteio em que três pessoas foram baleadas na boate Club New York, em Times Square, em 27 de dezembro de 1999.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.