Público lota abertura do Festival de Campos do Jordão

A abertura do 33º Festival de Inverno foi marcado por muita música e atenção por parte do público que lotou a praça do Capivari, no centro dacidade. A Orquestra de Sopros Brasileira, sob a regência do maestro Dario Sotelo, arrancou aplausos da platéia. À procura de um lugar onde para assistir a orquestra, as pessoas compraram chocolate quente e vinho para aquecer o corpo. E conseguiram acompanhar a abertura até o final.A orquestra, que encerrou a apresentação às 19 horas, foi homenageada por uma queima de fogos que durou cinco minutos. A dona-de-casa RosanaPereira Leiva, de 36 anos, chegou de Santo André, no Grande ABC, minutos antes do início da apresentação. ?Isto levanta o astral dequalquer um.? Rosana levou a sogra, Maude Leiva, de 65 anos, e o filho, Artur, de 7. ?É importante dar a oportunidade para o público de conhecer o que a cultura tem de bom a oferecer. Este ano, o festival vai incentivar o gosto pela música erudita também para crianças. Elas poderão assistir histórias da orquestra e participar de uma experiência interativa entre o cinema e a música. O festival acontece até o dia 28 de julho.Esqui - Com pinta de profissional, Kauê Cavalli, de 13 anos, desceu de esqui a pista montada no centro da cidade, uma das atrações mais apreciadas pelas crianças e adolescentes durante a tarde. Mas desta vez, no lugar da neve foram usados materiais sintéticos para facilitaro deslizamento. De acordo com os organizadores do evento, esta é a primeira feita na cidade. Para esquiar, não é preciso pagar nada, massão poucos os que se arriscam a ficar por dez minutos nesta aventura. A pista funciona do meio-dia até 22 horas e oferece também o snowboard. Para usá-la é necessário ter acima de 6 anos de idade. Oapoio aos novatos e veretanos no esporte é dado por oito monitores que permancem na pista. Patinação - Quem costuma patinar no gelo durante as férias em Campos conta com uma novidade este ano. É que os patrocinadores resolveram cobrir a pista com uma lona. No desfile da garotada, o que não faltam são os tombos. O pequeno Lucca Zanini, de 6 anos, é prova disso. Depois de repetir na estrada para a cidade várias vezes sobre a vontade depatinar, ele convenceu a mãe. A nutricionista Gracy, de 42. Ao chegar ontem na cidade foi direto calçar os patins. No meio dos maisexperientes ele mostrou a vontade aprender. "Foi tão engraçado. Nós nem tínhamos saído de nossa casa em Americana e ele já estava aflito parachegar aqui,"contou Gracy. Com R$ 20 é possível patinar durante uma hora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.