Público abandona show do Pearl Jam

Dezenas de fãs saíram do show do grupo Pearl Jam, depois que o vocalista Eddie Vedder pegou uma máscara do presidente norte-americano George W. Bush e cravou-a no pedestal do microfone, na terça-feira. Várias pessoas da platéia vaiaram o vocalista quando ele disse que era contra a guerra e contra Bush, durante o show inaugural de sua turnê pelos Estados Unidos, em Denver, no Colorado."Foi como se ele tivesse decapitado alguém em um ritual primitivo e cravado sua cabeça em uma estaca", disse o fã Keith Zimmerman. Vedder utilizou também uma máscara de Bush na Austrália e no Japão para interpretar a canção Bushleaguer, do álbum Riot Act. A canção contém versos que criticam o presidente Bush. Durante o show, Vedder disse: "Só a título de esclarecimento... Nós apoiamos nossas tropas e desejamos que todos estejam de volta sãos e salvos. Sentimos um grande apreço por nossos soldados. Não são eles que determinam a política externa... Esperamos que tudo saia bem e expressemos nossas opiniões". As garotas do trio country Dixie Chicks também sofreram represálias por conta da declaração de Natalie Maines de que sentia vergonha pelo fato de o presidente dos EUA, George W. Bush, ter nascido no mesmo estado que ela, o Texas. No mês passado, cerca de cem pessoas esmagaram CDs das Dixie Chicks usando um rolo compressor de quase 15 toneladas em Bossier City, Louisiana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.