Projetos levam ao palco a música sonhada por crianças

Ibirapuera receberá orquestra de crianças regidas por José Branco e Nailor Proveta e Vanderlei Banci

Roger Marzochi, da Agência Estado,

11 de dezembro de 2009 | 16h35

O palco do Auditório Ibirapuera receberá nesta sexta, 11, e domingo, 13, dois shows que já fazem sucesso antes mesmo de serem apresentados. Primeiro, porque são fruto da dedicação de empresas e do poder público em projetos culturais que semeiam a força transformadora que a música pode exercer na vida de crianças, carentes de dinheiro ou de meios de expressar seus sonhos. E, em segundo lugar, ao ouvi-las cantando e tocando, escuta-se a criança que se pretende eterna no adulto, independentemente da profissão que escolherá.

 

Nesta sexta-feira, 11, será a vez de deixar fluir essa sensação ao presenciar os 120 alunos da primeira turma da Escola do Auditório Ibirapuera, cuja faixa etária varia de 13 a 21 anos, no espetáculo "Pororoca", regidos pelos arranjadores e maestros José Roberto Branco e Nailor Proveta e Vanderlei Banci. "O repertório é formado por obras 'pororocas', ou seja, obras de compositores que beberam nas fontes tanto da música erudita quanto na música popular. Por isso essa metáfora com o encontro das águas", explica a coordenadora da escola, Fabiana Marchesi, sobre o encontro das águas do mar com as dos rios da bacia do Amazonas.

 

E o som das águas reviverá, por exemplo, no "Choro Nº 10" e "Aria (Cantilena) - III Movimento Bachianas Brasileiras nº. 4", de Heitor Villa-Lobos; "Bate-papo", de Radamés Gnattali; "O Gato e o canário", de Pixinguinha; "Passarim" e "Águas de março", de Tom Jobim. "Além da idéia da 'pororoca', os meninos tocarão 'Se você jurar' e 'Pelo Telefone', que também traz uma polêmica: qual das duas é considerado o primeiro samba? Ninguém sabe! Discutimos isso com os alunos durante a aula."

 

A apresentação terá também participações especiais da Bateria TIM Música nas Escolas, do Quinteto Branco e Preto e Grêmio Recreativo Escola de Samba Tom Maior. A operadora de telefonia celular também patrocina a escola do auditório. Os alunos menores de 16 anos recebem uma cesta básica e, os maiores, uma bolsa de estudos de R$ 140 para evitar que a família tire o filho dos estudos. "Sabemos que a música ajuda no desenvolvimento cognitivo e melhora o desempenho na escola. Mas muitos dos alunos serão musicistas, vejo isso pela nossa convivência. Porque são 14 horas semanais de aula, com alto índice de freqüência. Tem aluno que acorda às 4h30 da manhã para chegar aqui às 8h", diz Fabiana.

 

SONHO DE CRIANÇA

 

"Sonho de criança, eu queria tocar. E vi que o mundo era uma bola que eu queria chutar. E tinha tempo e liberdade de brincar com mais alguém. E andar pela cidade com meu bem." É o que cantam e tocam crianças na companhia de Max B.O. e Thalma de Freitas na primeira faixa do CD "Guri Convida", cujo lançamento será no domingo.

 

O disco é o resultado da participação de mais de 380 alunos do Projeto Guri sob a direção artística do aclamado produtor Beto Villares. O projeto convidou músicos como André Abujamra, Céu, Fernanda Takai, Arnaldo Antunes, Zélia Duncan, Rappin Hood, Thalma de Freitas, Max B.O., entre outros para participar do projeto. Eles compuseram um total de 18 músicas inéditas, num processo de gravação com a participação de 380 alunos, embora no palco estarão 120 por uma questão de espaço físico . "No futuro temos a ideia de levar para o palco composições dos alunos. Nesse projeto do CD, eles participam como integrantes das bandas, tocando instrumentos e cantando", conta Alessandra Costa, diretora executiva do Projeto Guri e idealizadora do CD.

 

O CD será vendido no dia da apresentação e, também, será levado às lojas pela gravadora MCD, que aposta no mercado musical destinado a crianças e que já distribui títulos em mais de 20 países. "Os artistas que participaram do projeto receberão pelos direitos da obra. Mas o Projeto Guri também receberá pela venda do CD. Parte da receita será revertida para o projeto. Nosso objetivo não foi arrecadar dinheiro, mas ter um produto que pudesse levar para a casa das pessoas o trabalho do projeto." Dos artistas que participam do projeto, estarão com os "guris" no palco Antonio Pinto, Anelis Assumpção, Maurício Pereira, Beto Villares, Andréia Dias, Fernanda Takai, Iara Rennó e Rappin'Hood.

 

O Projeto Guri nasceu em 1995 a partir da iniciativa da Secretaria de Estado da Cultura e que, em 2004, recebeu a participação da Associação Amigos do Projeto Guri (AAPG), que agrega empresas que podem investir nos projetos com o benefício fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente. Hoje, está presente em 301 municípios de São Paulo com um total de 40 mil alunos. "Não temos critério de seleção por faixa de renda, o acesso ao projeto é universal. Qualquer criança em escola pública ou particular pode participar, apesar de o perfil hoje ser de crianças com renda familiar de até quatro salários mínimos, mas não excluímos os que tem renda acima dessa.", explica.

 

SERVIÇO

- "POROROCA", Orquestra Brasileira da Escola do Auditório Ibirapuera. Data: dia 11 de dezembro de 2009. Horários: sexta, às 21h. Ingresso: gratuito. Classificação Indicativa: Livre

 

AUDITÓRIO IBIRAPUERA, Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº - Portão 2 do Parque do Ibirapuera. Informações: info@iai.org.br; (11) 3629-1014 ou (11) 3629-1075.

 

- "GURI CONVIDA". Data: dia 13 de dezembro de 2009. Domingo, às 17 horas. Ingresso: R$ 30 e R$ 15 meia-entrada. Classificação Indicativa: Livre. Informações: info@iai.org.br; (11) 3629-1014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.