Projeto Jobim Sinfônico estréia para o público

Será realizado amanhã na Sala SãoPaulo o segundo concerto do projeto Jobim Sinfônico - o primeiro, fechado para convidados, foi na segunda-feira, quando foramexecutadas 14 peças do compositor, entre elas duas inéditas.Amanhã, o público tem acesso. O projeto prevê a execução de todaa obra sinfônica do compositor, que será gravada e lançada em CDe DVD no início do ano que vem.Uma orquestra de cerca de 70 músicos, regidos pelomaestro Roberto Minczuk, interpreta Lenda (uma das inéditas,ao lado de um prelúdio recém-descoberto por acaso por MarioAdnet, um dos responsáveis pelo projeto), Brasília - Sinfoniada Alvorada, Saudades do Brasil, Bangzália,Imagina, Orfeu da Conceição, Casa Assassinada,Matita Perê, Tempo do Mar, A Felicidade, Modinha, Garota de Ipanema e Chovendo na Roseira.Além da orquestra - composta por músicos pinçados dosquadros da Sinfônica do Estado de São Paulo -, também participamdo espetáculo uma banda de base formada por Duduka da Fonseca,Marcos Nimrichter e Zeca Assumpção, e os músicos MiltonNascimento, Maúcha Adnet, Muiza Adnet, Teco Cardoso, Léa Freire,Paulo Guimarães e Nailor Proveta.O projeto é uma iniciativa de Mario Adnet e Paulo Jobim,filho do compositor, que, além da recuperação de algumas obras,também empreenderam a ampliação de arranjos originais de TomJobim. "A idéia, de certa forma, nem é nossa. O próprio Jobimqueria ter feito isso, mas não conseguiu", diz Adnet.E, quando conseguiu, não foi do modo que consideravaideal. Adnet lembra que o compositor chegou a gravar discos comdinheiro do próprio bolso, nas condições possíveis. É o caso,por exemplo, de Casa Assassinada, escrita em 1973 comotrilha do filme de mesmo nome de Paulo César Sarraceni. Nagravação feita por Jobim, no disco Matita Perê, a obra foiregistrada por uma orquestra composta de 12 violinos e 5violoncelos. Agora, com a ampliação do arranjo, serão 26 osviolinos, além de 8 violoncelos, 8 violas e 5 contrabaixos. "Emalgumas situações, quando o dinheiro faltava, ele reduzia aorquestração, sempre buscando soluções criativas, visando umequilíbrio perfeito", lembra Adnet.Definição - Inteiramente bancado pelo Ibope, o projetoJobim Sinfônico não quer necessariamente mostrar um novo TomJobim ao público. A idéia parece ser, na verdade, mostrar ocompositor de um modo mais completo, em suas diferentes facetase, conseqüentemente, naquilo que ele tinha como uma dascaracterísticas básicas de seu trabalho. "A modernidade delesempre esteve com ele. Todos falam do período da eclosão daBossa Nova, mas ele já era moderno antes disso."Os concertos da Sala São Paulo estão sendo gravados,para lançamento em CD e DVD. Mas também as partiturasrestauradas ao longo do projeto poderão ser consultadas. A idéiaé editar e disponibilizar todo o material para instituições eorquestras de todo o País e também do exterior.Jobim Sinfônico - Amanhã, às 21 horas. De R$ 12 a R$ 36. Sala São Paulo. Praça Júlio Prestes, s/nº, tel.: 3337-5414.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.