New York Times
New York Times

Projeto Hors les Murs promove diálogo entre artistas brasileiros e franceses

Concertos celebram a criação contemporânea

João Luiz Sampaio, ESPECIAL PARA O ESTADO

03 de novembro de 2015 | 21h44

Desde a sua criação em 1977, o IRCAM tornou-se referência mundial na pesquisa da música contemporânea. Ao longo dos anos, recebeu compositores de diversos países – entre eles, brasileiros. No ano passado, no entanto, a instituição resolveu percorrer o caminho inverso. Criou o projeto Hors les Murs, Fora dos Muros, e realizou um fórum e uma série de concertos na Coreia do Sul. Em 2015, o destino escolhido foi a América Latina. E, depois de passar por Buenos Aires, a equipe desembarca em São Paulo onde, a partir de hoje e até sexta, realiza um fórum e uma série de concertos.

O evento acontece em parceria com a Universidade de São Paulo, a Unicamp e a Unesp. O fórum será realizado no Studio PANaroma, criado pelo compositor Flô Menezes, referência internacional da pesquisa da música eletroacústica. “O Studio, pela estrutura tecnológica, vai abrigar palestras e workshops de composição durante o dia. E, à noite, serão realizados concertos no Sesc Consolação. Também será lançado um DVD duplo, Boulez+, resultado do convite a compositores para que fizessem trabalhos no estúdio com a linguagem eletroacústica”, explica Flô. O DVD também conta com a primeira gravação de Anthèmes II, de Pierre Boulez, fundador do IRCAM. “O IRCAM é a meca da música eletroacústica, símbolo da compreensão da importância da música contemporânea para a cena cultural. É extremamente importante estabelecer esse diálogo, trazê-los para cá e também mostrar o trabalho que estamos desenvolvendo.”

Nos concertos, serão apresentadas obras de autores como Alexandre Lusqui, Robert Platz, Tatiana Catanzaro, Sergio Kafejian e do próprio Flô Menezes. Entre os intérpretes, a violoncelista Heloísa Meirelles, a pianista Lidia Bazarian, a flautista Cássia Carrascoza e o violinista Cláudio Cruz. “A música eletroacústica demanda tecnologia e esta, por sua vez, precisa de comunicação constante entre as pessoas, para que trocas possam ser feitas”, diz Frank Madlener, diretor do IRCAM.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.