Ernesto Rodrigues/ AE
Ernesto Rodrigues/ AE

'Profissionais cumpriram seu papel', diz Segurança sobre show de Rita Lee

Em comunicado, órgão lamentou o ocorrido e disse que não houve motivo para a cantora agredir os policiais

Solange Spigliatti - estadão.com.br ,

30 de janeiro de 2012 | 11h10

São Paulo, 30 - A Secretaria de Segurança de Sergipe divulgou nota neste domingo, 29, sobre o episódio envolvendo a cantora Rita Lee, no último sábado, 28, na praia de Atalaia Nova, município de Barra dos Coqueiros. A cantora Rita Lee, de 64 anos, foi detida por xingar policiais militares durante show na cidade. Ela foi solta pouco depois.

 

Durante o show, Rita Lee viu policiais militares revistando pessoas que estariam fumando maconha na plateia. A partir daí, Rita teria começado a agredir verbalmente soldados e oficiais usando termos como "cachorros" e "filhos da p...".

 

Na nota, a Secretaria afirma que não foi registrada nenhuma ação dos policiais militares presentes na festa que justificasse os insultos proferidos pela cantora Rita Lee durante sua apresentação e que a polícia "agiu com sensatez ao não interromper a apresentação da cantora".

 

Abaixo a íntegra da nota:

 

1 - Um evento da dimensão do Verão Sergipe, em que ela se apresentou, gratuito e que atrai dezenas de milhares de pessoas, depende diretamente da Polícia Militar para que a segurança de quem participa da festa seja garantida. O comando da PM cumpriu seu papel com louvor, tanto é que o número de ocorrências nos dois primeiros dias do evento foi considerado muito baixo, e a instituição tem o reconhecimento do Governo pelos bons serviços prestados.

 

2 - Não foi registrada nenhuma ação dos policiais militares presentes na festa que justificasse os insultos proferidos pela cantora Rita Lee durante sua apresentação. Os profissionais da segurança pública cumpriram com seu papel, inclusive na escolta da artista em seu trajeto do hotel em que estava hospedada até o local do show, atendendo a uma solicitação da produção de Rita Lee.

 

3 - A Polícia Militar agiu com sensatez ao não interromper a apresentação de Rita Lee no momento em que foi insultada e desafiada pela artista, afinal, outra reação poderia provocar manifestações violentas na plateia, atrapalhando o clima de paz e tranquilidade registrado até então no evento.

 

4 - O Governo de Sergipe lamenta que em seu último show da carreira, como ela mesma anunciou, a cantora Rita Lee tenha provocado um mal-estar com uma instituição como a Polícia Militar de Sergipe, que ali estava presente para zelar pela segurança do público, dos profissionais envolvidos no evento e da própria Rita Lee.

Tudo o que sabemos sobre:
Rita Lee

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.