Sérgio Castro
Sérgio Castro

Lollapalooza 2017: Principal novidade deste ano, pulseira-ingresso funciona no início do festival

Na parte gastronômica, barraca do Chef Henrique Fogaça, jurado do 'Masterchef', tem fila gigantesca

João Paulo Carvalho, O Estado de S.Paulo

25 Março 2017 | 13h42

Principal novidade da edição de 2017 do Lollapalooza, a pulseira-ingresso funcionou bem nas duas primeiras horas do festival.  Com filas curtas, o público, ainda modesto no Autódromo de Interlagos, na zona sul de São Paulo, não teve dificuldades para carregar as chamadas Lolla Cashless. "Por enquanto está tranquilo, mas a gente sabe que no fim da tarde a coisa aperta mais. Por isso, já coloquei R$ 150", disse a estudante Janaina Marques, 18.

No Chef Stage, local onde o público pode apreciar a comida de cozinheiros renomados, a pulseira também funcionou normalmente. "Achei bem mais pratico e organizado. Dessa forma, não ficamos com receio de perder dinheiro ou o cartão. Espero que não tenha nenhum problema de tecnologia", afirmou o estudante João Santos Lins, 19.

A reportagem do Estado testou a pulseira-ingresso. Até as 14h, entretanto, não houve registro de problemas tanto para carregá-la quanto para efetuar compras de comidas e bebidas.

No Chef Stage a barraca mais disputada, por volta das 13h, era a do chef Henrique Fogaça. Com um menu clássico de Espírito de Porco (costela de porco marinada no melaço de cana e cachaça, assada com pimenta de chipotle e maracujá) e Shiba Inu (burguer de kobe, queijo, farofa, cebola roxa caramelizada e tomate), a fila para degustar a comida da atração do reality 'Masterchef', da Band, chegou a dar a volta no quarteirão. "Vamos ver se ele é tão bom quanto diz no programa", brincou a auxiliar administrativa Tainá Proud Gomes, 25.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.