Preta Gil mostra a voz e o corpo em disco de estréia

Se Preta Gil queria controvérsia com Prêt-à Porter, seu primeiro disco, conseguiu. Ao vê-la nua, na capa e no encarte, seu pai, o músico e agora ministro da Cultura, Gilberto Gil, não gostou. "Ele só disse ´Precisava, minha filha?´ Mas neste CD mostro meus sentimentos, o que penso. Estou mais exposta nas músicas, sujeitas a crítica, que nas fotos, onde exibo um corpo já pronto", filosofa. "Quando expliquei a meu pai, ele aceitou. Esse é só meu primeiro disco e ainda vou ralar muito ainda para me tornar uma grande cantora." Longe dela, Gil se derrete. "É um disco que não segue trilhas já abertas. Na contra-mão das cantoras atuais, que buscam timbres agudos, ela tem um contralto interessante em que ouço ecos de um passado, outras cantoras que fizeram a nossa música e com quem ela aprendeu", diz o ministro.Esses ecos são conseqüência da turma que Preta reuniu e que ela chama de Novos Bárbaros ou Doces Baianos. Ari Moraes, autor de parte das músicas, é filho de Moraes Moreira. Betão Aguiar (baixo) e Gil Oliveira (bateria), de Paulinho Boca de Cantor, e Pedro Baby (guitarra), de Baby Consuelo e Pepeu Gomes. O produtor é Antoine, filho de André Midami, ex-diretor da Phillips e depois da WEA. "Temos em comum a busca por nosso lugar, a consciência de um passado, mas de que nosso caminho é independente. Por isso não fiz um disco mercadológico, canto o que acredito" explica a Preta, que é sucesso na novela Agora é que São Elas, da Rede Globo, como a vilã Vanuza. "Custei a criar coragem para me expor, mas adoro o que acontece agora, o disco e a novela."Gostando ou não das 13 músicas, deve-se reconhecer que Preta Gil teve coragem para não seguir receitas do departamento de marketing. A única música conhecida é Espelho d´Água, de Dalto, da trilha da novela. As outras são inéditas: sambas, afoxés e baladas dançantes que falam de namoros, paqueras e desilusões amorosas. Atenção para a Andaraí, Mal da Amar e Arrepio de Carnaval, em que a voz afinada de Preta (com influência confessa de Baby Consuelo), abre espaço para arranjos à la Novos Baianos.Preta mostrou sua voz (e o corpo) e quer mais. Estréia em outubro o show em que promete cantar de Gretchen a Fábio Júnior (além de seu repertório, é claro), num palco inusitado, a churrascaria Plataforma. Não no prestigiado Bar do Tom, mas na sala dos shows de mulata para turistas. "Esse é outro sonho, bancar a mulata de escola de samba", brinca ela. "Fiz o que meu coração mandou e agora estou aí para desfrutar de meus erros e acertos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.