Prêmio Visa tem segunda eliminatória

De um lado, um instrumental lapidado em conceitos eruditos. De outro, o emergente das raízes do choro e do samba. As duas escolas serão ouvidas na segunda eliminatória do Prêmio Visa de MPB - Edição Instrumental. Duas duplas e dois músicos apresentarão suas obras amanhã (27), a partir das 20 h, no Teatro Cultura Artística. A ordem prevista para os shows é a seguinte: o pianista Itamar Assiére, a dupla de violonistas Rogério Caetano e Daniel Santiago, o baterista Carlos Ezequiel e o duo formado pelo violonista Mário Eugênio e pelo bandolinista Milton Mori.Assiére, do Rio de Janeiro, iniciou sua musicalização aos 6 anos, com aulas de piano clássico. No entanto, já na adolescência começou a tocar em bailes e igrejas e a percorrer caminhos que o levaram a se encontrar com músicos de MPB. Do choro vêm o goiano Rogério Caetano e o brasiliense Daniel Santiago. Caetano, aos 25 anos, tem o violonista Raphael Rabello como referência principal. Para estudar a difícil técnica do violão de sete cordas foi à fonte chamada Dino Sete Cordas, um dos mais conceituados violonistas do choro.Seu parceiro Santiago, 21 anos, começou aos 8 anos e já acumula apresentações ao lado de Toninho Horta, Guinga, Hermeto Pascoal e Carlos Malta. Assim como Caetano, se dedica a pesquisar a linguagem do violão brasileiro, com a intenção de renová-la.O baterista Carlos Ezequiel tem experiência internacional em apresentações pela Europa e concertos pelo Brasil e Estados nidos. Em abril, lança com o músico Lupa Santiago o disco Images, pela gravadora Mix House.O violão de Mário Eugênio e o bandolim de Milton de Mori falam uma linguagem popular. Eugênio, hoje com 38 anos, também despertou para a música aos 8 anos. Chegou a formar uma escola de samba e a tocar instrumentos de percussão. Com seu primeiro CD, Mário Eugênio, ganhou uma indicação ao Prêmio Sharp na categoria instrumental. No ano passado lançou com o parceiro o álbum Mário Eugênio & Milton de Mori in Concert.Mori, de 36 anos, transita em praias das mais diversas. Gravou tanto com Rolando Boldrin (Esquentai Vossos Pandeiros) quanto com grupos de pagode como Negritude Jr. e Sensação. Antes de se decidir pelo bandolim, aprendeu cavaquinho violão de sete, violão tenor e guitarra baiana.O Prêmio Visa terá sua terceira eliminatória quarta-feira, com outros quatro concorrentes. Realizado pela Rádio Eldorado e patrocinado pela empresa de cartões de crédito Visa do Brasil, o concurso terá ao todo seis eliminatórias antes de iniciar as semifinais. O vencedor levará R$ 40 mil e terá um disco produzido e lançado pela Gravadora Eldorado.Prêmio Visa de MPB - Edição Instrumental. 2ª eliminatória: amanhã, às 20 h. Teatro Cultura Artística (Rua Nestor Pestana, 196. Tel.: 258-3616). Entrada franca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.