Prêmio Visa abre inscrições para instrumentistas

A Visa e a Rádio Eldorado anunciaram nesta quarta-feira a abertura das inscrições para a 4ª edição do Prêmio Visa. Após premiar nos últimos dois anos uma intérprete, Mônica Salmaso, e um compositor, Dante Ozzetti, o evento reinicia seu ciclo e volta a contemplar os instrumentistas. Em 1997, ano marco, houve empate no primeiro lugar entre Célio Barros e André Mehmari. "Após quatro anos podemos dizer que temos conseguido uma resposta muito boa por parte dos músicos e da imprensa especializada", diz o Maestro Nelson Ayres, presidente do juri pelo quarto ano consecultivo.Capitaneado por Ayres, o júri conta com outros quatro componentes rotativos. São eles que irão comandar as três etapas de seleção: eliminatória, semi-final e final. Os shows continuam a ser realizados no Teatro Cultura Artística. O encerramento, no entanto, deve ser no Tom Brasil. Uma das semi-finais será realizada em Salvador, na Bahia. Segundo João Lara Mesquita, diretor da Rádio Eldorado, transferir parte do evento para a capital baiana é uma forma de fugir do boicote que os veículos concorrentes praticam contra o evento. João Lara Mesquita acredita que o prêmio tem grande potencial de entretenimento. Por isso, ao final de cada eliminatória, um show de artista consagrado será realizado. Desta feita haverá um homenageado, o maestro Tom Jobim e por isso as apresentações especiais devem ter alguma relação com o fato. "Talvez pediremos aos músicos que programem um repertório especial com músicas de Jobim", afirma Ayres.A idéia inicial desta homenagem, segundo o maestro, era impor aos músicos participantes a apresentação de pelo menos uma composição de Tom Jobim. "Porém estava tocando outro dia e pensei que seria muito difícil para um violeiro, por exemplo, interpretar Jobim". Descartada esta hipótese apenas estabeleceram que os concorrentes devem interpretar duas músicas do cancioneiro popular brasileiro. Outra novidade é a extinção do limite de idade. Até o ano passado apenas artistas com menos de 30 anos participavam do Prêmio Visa. "Mas isso não quer dizer que o nosso objetivo não seja revelar novos talentos". Para ilustrar, citou o exemplo de Helena Meireles, violeira mato-grossense descoberta pela gravadora com mais de 70 anos. A Visa irá investir R$ 2 milhões na realização do projeto. A primeira eliminatória será realizada em 7 de março do ano que vem. O grande vencedor receberá R$ 40 mil e gravará um disco pela Eldorado. O segundo lugar ficará com R$ 25 mil, o terceiro com R$ 20, quarto e quinto com R$ 10 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.