Prêmio reabilita álbuns "ignorados" pelo mercado

Se você não sabe nada sobre música ou apenas perdeu o bonde dos últimos tempos, mas está querendo se atualizar, estude a recém-divulgada lista do Shortlist Prize. A premiação americana inspirada no inglês Mercury Prize escolhe 75 álbuns que venderam menos de 500 mil cópias no país nos últimos tempos e que, uma vez ignorados pelo mercadão, precisam ser "salvos". Um grupo de jurados que inclui Beck, Macy Gray e outros nomes anti-mainstream da indústria sugerem os trabalhos.No dia 17 de setembro, sai a lista curta, com dez finalistas, eno dia 29 de outubro, um evento no clube nova-iorquino KnittingFactory vai premiar o melhor disco do ano. O prêmio, que no anopassado teve como vencedor o islandês Sigur Ros, serve paraatrair atenção da imprensa aos trabalhos que não conseguiramespaço de destaque nas lojas.Este ano a lista está afinada, abrangendo muitos dos gênerosmais importantes do momento. Para começar, há várias surpresas:o disco Vespertine, de Björk, mesmo impulsionado pelaelogiada turnê da cantora, não conseguiu emplacar no mercadoamericano. O mesmo aconteceu com os darlings da mídia The Hivese o cantor Ryan Adams.Atenção para as dicas: a lista longa inclui os ótimos álbuns derock I Get Wet, de Andrew W.K.; Murray Street, do SonicYouth; e Yoshimi Battles The Pink Robots, do Flaming Lips.Os fãs do trip hop não podem perder Simple Things, do Zero 7, enquanto os interessados na onda "Brazilian-lounge" devemconferir In Between, do Jazzanova.Outros imperdíveis: The Private Press, do DJ Shadow;Kittenz and Thee Glitz, de Felix Da Housecat, e FeministSweepstakes, do Le Tigre, ambos "cartilhas" do electroclash(gênero que está assolando as cidades mais modernas do mundo).Os saudosistas dos experimentalismos dos anos 80 podem ficar comBlood Money, de Tom Waits, e Life on a String, de LaurieAnderson. Para saber mais sobre os artistas selecionados e osjurados da premiação, visite o web site oficial deles, noendereço www.shortlistofmusic.com.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.