Daniel Teixeira/AE
Daniel Teixeira/AE

Prêmio Musique desclassifica candidato por suposto plágio

Versão de Daniel Pinho, que estava em 1.º lugar, foi considerada 'de fortes semelhanças' com 'Drive', do Incubus

Estadão.com.br

05 de novembro de 2010 | 19h47

A organização do Prêmio Musique, concurso realizado pelo Caderno 2+Música do Estado em parceria com a Rádio Eldorado, decidiu desclassificar na tarde desta sexta-feira o concorrente Daniel Amorim Pinho, 25 anos, por suposta prática de plágio. Daniel, que mora em Vitória, no Espírito Santo, liderava a votação popular no site do prêmio  com 30.907 votos para sua versão para a letra inédita Alguém, de Dinho Ouro Preto e Alvin L. Denúncias feitas por participantes do concurso e internautas levaram a comissão julgadora do prêmio, presidida pelo músico e professor Amilton Godoy, a fazer uma análise técnica das duas canções. Os jurados constataram que a música de Daniel tinha elementos idênticos à canção Drive, do grupo californiano Incubus.

 

A canção foi desclassificada por, segundo os jurados, "apresentar forte semelhança e mesmo completa identidade" em aspectos como arranjo, melodia, entonação, estrutura rítmica, andamento e tonalidade com a versão do Incubus. Todos os votos computados para Daniel foram retirados do site de votação na tarde de ontem. "De todas as edições do Musique, esta foi a primeira vez que surgiu algo tão parecido com outra música, e assim tivemos de tomar nossa decisão. É lamentável, mas temos um compromisso com todas as pessoas que se inscreveram no prêmio", diz o presidente do júri, Amilton Godoy.

 

Daniel Pinho, procurado pela reportagem, afirma que respeita a decisão dos jurados mas que o critério adotado para sua desclassificação pode ser subjetivo. "Os dois primeiros acordes são parecidos, um Mi menor e um Dó maior. Mas a melodia e a métrica são diferentes. Não existe patente de acorde, só de melodia. E as melodias das músicas não coincidem." Ele afirma que conhece a música Drive, da banda Incubus, mas que não a usou nem como inspiração. "Se eu fosse copiar alguém, copiaria alguma música dos Beatles."

 

Não é o que observa o escritório de advocacia CesnikQuintino&Salinas, que fez uma análise técnica paralela à realizada pelo júri, a pedido da organização do Musique. Em laudo assinado pelos advogados Leo Wojdyslawski e Alessandro Amadeu, é anotado que "as respectivas gravações foram tocadas simultaneamente e atestou-se que em diversos compassos houve total sincronia ou acomodação de uma música à outra." Depois da desclassificação de Daniel Pinho, quem passou a liderar as votações na tarde de ontem foi o carioca Rafael Ferreira Neves, que estava com 29.136 votos por volta das 18h.

 

Em fase de votação online até o dia 17 de novembro, o Prêmio Musique procura um parceiro para Dinho Ouro Preto. O vencedor desta etapa se tornará um dos cinco finalistas (outros quatro foram escolhidos pelos jurados), que serão enviados para que o próprio Dinho escolha o vencedor. Quem ganhar concorrerá a um show no Rock in Rio 2011.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.