Prêmio Carlos Gomes anuncia vencedores

Em cerimônia realizada na noite deterça-feira na Sala São Paulo, foram escolhidos os vencedores dasexta edição do Prêmio Carlos Gomes de música erudita. Com apresença do secretário de Estado da Cultura de São Paulo, MarcosMendonça, a comissão julgadora - composta por Gilberto Chaves,Luiz Aguiar, Oswaldo Colarusso e Raphael Cilento - escolheuentre os indicados pelo colegiado composto por 24 membros umvencedor para cada categoria. Também foi entregue na cerimônia oTroféu Guarany, prêmio oferecido este ano ao maestro Eleazar deCarvalho. Quem o recebeu foi a viúva do regente.O primeiro prêmio da noite foi dado para o violonistaEdelton Gloeden, destaque na categoria instrumentista. Eleconcorria com o violoncelista Roman Mekinulov e as violinistasTania Guarnieri e Maria Constança Audi de Almeida Prado. Porestar participando do Festival de Música da Paraíba, Gloedenmandou representante para receber o prêmio em seu lugar.Também na Paraíba, o Quinteto Villa-Lobos, que no anoque vem completa 40 anos de carreira, não pôde comparecer parareceber o prêmio de melhor grupo de câmara, categoria na qualconcorria com a Camerata Fukuda e o Quinteto D´Elas.Entre os compositores - categoria instituída este ano -,coube à comissão julgadora escolher entre Edino Krieger, AmaralVieira e Ronaldo Miranda. O prêmio ficou com Miranda que, em seudiscurso, agradeceu a todos os instrumentistas que incluem suasobras em seus repertórios, "pois são eles que dão vida àsnossas intenções como compositores".Este ano, o Prêmio Carlos Gomes passou a ser nacional,contemplando não apenas artistas e conjuntos paulistas: a melhororquestra, segundo a comissão julgadora, foi uma carioca, aPetrobras Pró-Música, administrada por Roberto Tibiriçá e CarlosEduardo Prazeres, que agradeceu em nome dos dois a escolha dojúri. Também concorriam a Orquestra Experimental de Repertório ea Sinfonia Cultura que, no palco sob a regência de Abel Rocha,interpretou trechos de óperas de Verdi com a participação dasoprano Gabriella Pace, da meio-soprano Regina Elena Mesquita edo tenor Rubens Medina.Marcelo Bratke, que na terça-feira abriu uma série detrês concertos no CCBB, em São Paulo, foi escolhido como melhorpianista, tendo concorrido com Vânia Pajares e Arnaldo Cohen.Troféu nas mãos, Bratke reafirmou a sua busca pela verdadeirauniversalização da música.O Coro da Orquestra Sinfônica do Estado de São Pauloganhou o prêmio de melhor coro. Naomi Munakata, diretora dogrupo (que concorria com o Madrigal Ars Viva e o Coral LíricoMunicipal), recebeu o prêmio e agradeceu o apoio do público.Três categorias do prêmio contemplam a ópera. A primeiradelas elegeu a soprano Cláudia Riccitelli como destaque vocalfeminino entre as sopranos Adélia Issa e Rosana Lamosa. Nacategoria masculina, o prêmio ficou com o tenor EduardoItaborahy, que concorria com os barítonos Inácio de Nonno eSebastião Teixeira. Cláudia e Nonno não puderam comparecer, poisparticipam de uma montagem de Rigolleto em Brasília. Nacategoria universo da ópera, o prêmio foi para o maestro RobertoDuarte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.