Prata da Casa chega à terceira mostra

Prossegue hoje, na Choperia do Sesc Pompéia, a terceira retrospectiva do projeto Prata da Casa, dedicado a revelar novos talentos da música popular - instrumentistas, cantores, compositores. A mostra, que leva ao palco as atrações mais expressivas de cada semestre, teve início ontem, com a apresentação do grupo mineiro Berimbrown, que combina música negra nacional e internacional e a tradição mineira - congado, folia de reis, marujada. As atrações de hoje são o compositor e cantor Eudes Fraga e a cantora Andrea Marquee. Eudes é da região de Quixadá, no Ceará, e um vencedor de dezenas de festivais de música popular dos que ocorrem, anualmente, no interior do País. Compõe, toca e canta toadas, baiões, maracatus. Andrea Marquee, atriz e cantora de espetáculos musicais de sucesso, como Hair e Nas Raias da Loucura!, estreou, em 1993, como vocalista da banda paulistana Heartbreakers, que toca música brasileira, salsa e jazz. Em solo, ela apresenta versões modernas para músicas de Caetano Veloso, Jorge Ben Jor, Gilberto Gil e até Ataulfo Alves, apresentando, do compositor mineiro, com certa dose de ironia, uma leitura muito particular de Mulata Assanhada. A 3ª Mostra Prata da Casa prossegue amanhã com shows do compositor - essencialmente de samba - Oswaldo Pereira, carioca, e da cantora baiana Ione Papas, que acaba de lançar um belo disco interpretando Noel Rosa. Na sexta-feira apresentam-se o grupo instrumental As Choronas, de São Paulo, e a cantora Eliane Faria, que é filha de Paulinho da Viola. A retrospectiva termina no sábado, com a apresentação do grupo parananese Viola Quebrada, que trabalha sobre música caipira de fato, e da cantora Miriam Maria, que foi da banda Orquídeas do Brasil, de Itamar Assumpção. Os espetáculos começam sempre às 21 horas, com entrada franca. O Sesc Pompéia fica na Rua Clélia, 93, telefone 3871-7700.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.