Popstar Madonna diz ter medo do abandono e da solidão

Às vésperas de completar 50 anos, cantora diz que não que 'absolutamente diminuir o ritmo da minha vida'

Entrevista com

Ansa,

23 de abril de 2008 | 10h52

Às vésperas de seu aniversário de 50 anos, que será comemorado no próximo mês de agosto, a popstar Madonna afirma, em entrevista à revista Elle, que abandono e solidão são as únicas coisas que teme na vida.  Veja também:Tribunal do Malauí adia audiência de Madonna sobre adoçãoSite alemão libera trechos do novo álbum de Madonna "Me recuso a deixar que me definam pela idade. Não quero absolutamente diminuir o ritmo da minha vida, nem abandonar minhas atividades. Com que objetivo? Ficar em casa e engordar? Nem se fale disso!", afirmou a cantora. "A minha vida é totalmente cheia. Estou em plena forma e posso fazer cada vez mais coisas. Tenho a impressão de não ter feito tudo aquilo que devia e quereria sempre fazer mais", acrescentou. A sua maior angústia é ter visto sua mãe morrer quando tinha seis anos de idade. "Desde então comecei a exercitar uma disciplina sobre meu corpo. É um modo de não sucumbir", explicou. Nesse sentido, se tornar mãe ela mesma a ajudou, embora tenha "sempre medo de ser abandonada. Não suporto a solidão". De resto, para ela os anos parecem não passar. Há oito anos casada com o diretor Guy Ritchie, a cantora comenta as proezas do marido na cama em seu último disco, Hard Candy.  "É absolutamente verdadeiro, fazer amor com ele é incrível", garante Madonna. "Graças a ele eu descobri minha parte feminina, a ser mais macia, vulnerável, e não ter medo de sê-lo". Por sua vez, Ritchie aprendeu com ela "a dormir com o (celular) Blackberry". "Não é muito romântico, eu sei, mas é prático", explicou a cantora, que usa o aparelho para anotar as idéias que tem durante a noite.

Tudo o que sabemos sobre:
MadonnaHard Candy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.