Divulgação
Divulgação

Políticos e artistas expressam solidariedade à família de Dona Canô

A mãe de Caetano Veloso e Maria Bethania morreu nesta terça-feira, 25, aos 105 anos

estadão.com.br,

25 de dezembro de 2012 | 15h07

Atualizada às 17h47

Artistas e políticos postaram mensagens de solidariedade e apoio à família de Dona Canô. Mãe de Caetano Veloso e Maria Bethania, Claudionor Velloso morreu na manhã desta terça-feira, 25, aos 105 anos.

"Quero registrar meus sentimentos à família Veloso e dizer que Dona Canô será sempre um exemplo de vitalidade e lucidez", escreveu em seu Twitter a cantora Leci Brandão. Também no microblog, o apresentador Luciano Huck expressou sua admiração por Dona Canô. "Queria deixa aqui meu carinho a todas as gerações da família Veloso. E minha admiração pelos 105 anos de lucidez e sabedoria de Dona Canô."

A presidente Dilma Rousseff emitiu nota de pesar pelo falecimento de Dona Canô, em que diz que "o Natal ficou mais triste com a sua morte" e que ela era uma mulher "forte e sábia", que "deixa muitas saudades". Em sua mensagem, a presidente fala ainda que Dona Canô foi "uma mulher rica de coragem, principalmente a coragem de ser feliz, como ela mesma gostava de dizer", acrescentando que ela "construiu uma família em torno do amor pela cultura, pela Bahia e pelo Brasil, expresso no talento de seus filhos, entre eles Caetano Veloso e Maria Bethânia".

A ministra da Cultura, Marta Suplicy, por meio de nota, afirmou que Claudionor Velloso simbolizava a "família e a fé inquebrável" e representava a "grandeza de espírito do povo baiano". "Bethânia e Caetano são hoje a síntese da força desta grande mulher. Para toda família Veloso e brasileiros, uma perda sentida", conclui a nota.

O governador da Bahia, Jaques Wagner, por meio de nota, lamentou a morte "de uma mãe exemplar, que serviu de referência para filhos que também são o orgulho da Bahia."

Nesta manhã, Caetano Veloso, em mensagem postada no Twitter, agradeceu a solidariedade de todos. O velório de Dona Canô será às 18h (17h de Brasília) no Memorial Caetano.

Dona Canô morreu em casa. Ela esteve internada na Unidade Cardiovascular Intensiva do Hospital São Rafael, em Salvador, até a última sexta-feira, depois de sofrer um ataque isquêmico cerebral, que provoca redução do fluxo de sangue nas artérias do cérebro.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.