Planet Hemp ignora audiência na Justiça

Os integrantes da banda Planet Hemp, que respondem a ação penal por apologia ao uso de drogas no Distrito Federal, não deverão comparecer amanhã à audiência marcada para seu interrogatório, em Brasília. A informação foi divulgada hoje pelo advogado dos músicos, Nabor Bulhões. "Conversei com o produtor da banda e ele me informou que os músicos têm um compromisso inadiável, de modo que estariam impossibilitados de comparecer", disse Bulhões. A assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do DF informou, porém, que o processo terá continuidade mesmo sem o depoimento dos réus, que foram citados até por edital. A ação tramita na 1ª Vara de Entorpecentes e Contravenções Penais do Tribunal de Justiça do DF. Se condenados os músicos poderão pegar de 3 a 15 anos de prisão. Dois deles já prestaram depoimento no Rio. Na audiência de amanhã deverão ser ouvidos o vocalista Marcelo Peixoto - o Marcelo D2 -, Gustavo Ribeiro, Eduardo Vitória e José Henrique Pinheiro. O processo teve início em novembro de 1997, quando o grupo foi preso em Brasília, logo após a realização de um show. No sábado, a banda fez outra apresentação na capital, sob a ameaça de prisão caso cantasse determinadas canções. Em tempo - O Tribunal de Justiça decidiu hoje que a banda mineira Sepultura é detentora do nome do grupo, reivindicado por um conjunto musical de Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.