Plácido Domingo já pleneja fim de sua carreira

O tenor espanhol Plácido Domingo anunciou que o fim de sua carreira de cantor lírico se aproxima, antes de afirmar: "Ainda não estou certo de como será minha saída, se com um concerto único ou com uma turnê de despedida". "Está muito próximo o dia em que deixarei o palco", disse Domingo, de 64 anos, que neste sábado cantará no teatro ao ar livre Waldbühne, na capital alemã. O tenor destacou que a diferença de idade com seus colegas mais jovens se acirra mais e mais a cada dia. "Quando comecei, cantei ao lado de senhoras como Lilly Pons, que na época tinham a mesma idade da minha avó", comentou. Mais tarde, ele dividiu o palco com "irmãs mais novas", como Leontyne Price e Joan Sutherland. "Depois, seguiram-se cantoras da minha idade e hoje canto com artistas que podem ser minhas netas", destacou. "Às vezes penso simplesmente em terminar minha carreira depois de uma apresentação e dizer: ´bom, aqui termina tudo", acrescentou Domingo. No entanto, afirmou, "estou certo do que não farei e isto é uma turnê de despedida com 50 concertos e dois anos depois celebrar minha volta aos palcos", alfinetou o cantor espanhol, em alusão ao tenor italiano Luciano Pavarotti, com que dividiu o palco várias vezes. Antes de se despedir, Domingo disse que pretende realizar um de seus sonhos: interpretar o papel de protagonista para barítono de Simon Boccanegra, de Giuseppe Verdi. Na realidade, Plácido Domingo acaba de realizar um de seus maiores desejos, ao gravar em estúdio ao lado da soprano sueca Nina Stemme Tristão e Isolda, de Wagner, trabalho que será lançado nos próximos dias no mercado alemão. Domingo disse ainda que acalenta o sonho de reger a orquestra do Festival de Bayereuth (sul), dedicado à obra de Wagner, pois, segundo afirmou, não está em condições de cantar toda a ópera no palco. "Apenas o último ato (de Tristão e Isolda) é como uma ópera inteira", Afirmou. Com mais de 100 papéis em seu currículo, Domingo declarou, com humildade, ser "apenas um tenor lírico capaz de assumir diferentes papéis".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.