Pianistas levam Meninos do Morumbi a Londres

Os pianistas Marcelo Bratke eMacela Roggeri apresentam-se na sexta-feira no Queen ElizabethHall, em Londres, ao lado de nove integrantes do grupo depercussão Meninos do Morumbi, formado por jovens carentesbrasileiros. Eles vão interpretar o concerto Quatrocentos Anosde Música Moderna, já mostrado aqui no Brasil, no qualrecontam a história do homem ocidental por meio da música. Os pianistas interpretam Bach, Mozart, Schubert eGershwin, fazendo uma viagem na história da música e seusperíodos. Em meio às peças, os percussionistas pontuam, commaracatu e baião, a passagem do tempo, até que, no final, dá-seo encontro do piano com a percussão. E são, então, interpretadosquatro composições do brasileiro Ernesto Nazareth (Brejeiro,Apanhei-te Cavaquinho, Fon-Fon e Odeon) eBrasileira, uma espécie de "samba francês" do compositorDarius Milhaud. Em recente entrevista, Bratke - um dosmais importantes pianistas brasileiros em atividade - afirmouque a utilização da percussão nesse tipo de concerto tem comointenção incluir um elemento atemporal na busca por rever ahistória da música ocidental. Além do Centro Cultural Banco do Brasil, o espetáculo jáfoi apresentado no ano passado na Ópera de Reims, na França. NoBrasil, Bratke e os Meninos do Morumbi têm tocado juntos emlocais como a favela de Paraisópolis, local de residência demuitos integrantes do conjunto, criado em 1996 por FlávioPimenta e formado por cerca de mil crianças e jovens carentes. Com Marcela Roggeri, Bratke gravou em 2001, para o seloEtcetera, toda a obra completa para dois pianos do compositornorte-americano Aaron Copland. Discípula do renomado pianistaBruno Gelber, Marcela já se apresentou com grandes orquestrascomo as sinfônicas de Boston e da Flórida e importantesregentes. Em março, ela e Bratke pretendem voltar juntos aestúdio, agora para registrar Gildert-Goldberg, obra inédita docompositor inglês Holloway.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.