Arquivo/Reuters
Arquivo/Reuters

Pete Doherty reconhece ter visto roubo de guitarra na Alemanha

'Eu estava lá, mas não fui eu', declarou o cantor à imprensa alemã

EFE

10 de março de 2011 | 12h33

BERLIM - O polêmico músico britânico Pete Doherty reconheceu ter estado presente no roubo de uma guitarra de uma loja da cidade alemã de Regensburg, no sul do país, mas garantiu não ter sido o autor do crime.

"Eu estava lá, mas não fui eu", declarou o cantor à imprensa alemã, que divulgou a informação nesta quinta-feira, enquanto a Polícia local disse que ainda não interrogou Doherty, conhecido por seus excessos com o álcool e as drogas.

Aparentemente, na madrugada da terça-feira passada três pessoas quebraram a vitrine de uma loja de instrumentos musicais em Regensburg e roubaram uma guitarra que estava exposta. A ação foi vista por uma testemunha, que reconheceu Doherty.

Um porta-voz da Polícia relatou nesta quinta-feira que o cantor não foi interrogado ainda sobre o caso por conta das gravações de um filme do qual participa junto com os atores Charlotte Gainsbourg e August Diehl, e acrescentou que as autoridades alemãs não têm pressa para saber sua versão dos fatos, embora, caso seja confirmado que viu o roubo, pode chegar a ser acusado de cumplicidade.

Pete Doherty, de 31 anos de idade, é um dos protagonistas de um filme baseado na autobiografia de Alfred de Musset, A confissão de um filho do século.

Tudo o que sabemos sobre:
Pete Doherty

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.