Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

Pesquisa aponta prejuízo de R$ 483 milhões no mercado da música no Brasil

Dados do DATA SIM projetam impacto na economia do setor de até R$ 3 bilhões

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

08 de abril de 2020 | 05h00

Os resultados de uma pesquisa do DATA SIM (o núcleo de pesquisa e organização de dados da SIM São Paulo) sobre os impactos da covid-19 no mercado de música do Brasil, realizada por questionário online entre 17 e 23 de março, apontam prejuízo estimado em R$ 483 milhões. Em uma projeção para o universo de empresas registradas no Ministério da Fazenda, o impacto no País poderia chegar a R$ 3 bilhões.

O levantamento da SIM indica adiamento ou cancelamento de 8.141 eventos em 21 estados do Brasil, com uma projeção de público de oito milhões de pessoas nas apresentações musicais paralisadas pela pandemia. 

Os dados apresentam um panorama do setor a partir de 536 de empresas de diversas áreas, como produtoras de festivais, agências de booking, casas de show, além de fornecedores e parceiros. Veja algumas das principais informações abaixo.

“Esses números ajudam a pensar em ações concretas para o setor, composto por muitos interesses, a maioria sem uma representação ou associação de classe", diz Dani Ribas, diretora de pesquisa do DATA SIM, em um comunicado. "É hora de aproveitarmos as iniciativas que surgiram autonomamente em diversas partes do país para repensar toda a organização política do setor.” 

"Realizar uma pesquisa simultaneamente aos primeiros impactos da crise é uma tarefa árdua", comenta Renata Gomes, pesquisadora e analista de dados do DATA SIM, também em comunicado. "Entretanto, a urgência na coleta destes dados primários se faz necessária por conta das milhares de pessoas desamparadas nesse momento. Nesse sentido os resultados da pesquisa podem ajudar a ampliar o diálogo e proposições do poder público e iniciativa privada."

 

 

Além dos números, o estudo apresenta um diagnóstico dos principais desafios que a indústria da música precisa enfrentar para lidar com a crise que abala toda a cadeia produtiva do setor. 

Confira alguns dos insights da SIM São Paulo sobre a crise da covid-19:

  • 53,2% dos respondentes são Micro Empreendedores Individuais (MEI). Até o momento, as principais ações de recuperação do setor através de crédito têm se direcionado a micro e pequenas empresas.
  • Se projetarmos os resultados das 285 MEIs representadas nesta pesquisa para as cerca de 62 mil MEIs registradas no Ministério da Fazenda como empresas de Produção, Sonorização e Iluminação, o prejuízo estimado das “MEIs da Música ao Vivo” no país seria de R$ 3 bilhões, impactando cerca de 1 milhão de profissionais.
  • O baixo associativismo (77% nao têm representação de classe) é problema antigo e que tem impacto em um momento de crise.
  • A monetização do conteúdo on-line gerado por artistas é crucial e ainda é um ponto crítico do ecossistema da música.

O conteúdo completo do relatório pode ser acessado neste link.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.