Reprodução
Reprodução

Peru e México podem receber o Rock in Rio

De acordo com Roberto Medina, o idealizador do evento, negociações estão avançadas

EFE

28 de maio de 2012 | 10h17

LISBOA - O Rock in Rio poderá ganhar versões no Peru e no México a partir de 2014. De acordo com o empresário brasileiro Roberto Medina, idealizador do evento, as negociações estão avançadas. Em março, já havia sido confirmada uma edição na Argentina, marcada para outubro do ano que vem. Em entrevista no sábado, durante a edição do Rock in Rio Lisboa, Medina descartou os boatos de que o evento deixaria a Espanha por conta da crise econômica.

Medina afirma que a conversa com produtores do Peru foi a que mais avançou até agora, mas que outros países da América Latina também se mostraram animados com a possibilidade de abrigar o evento. Segundo ele, as edições de Lisboa e Madri, marcada para o fim de junho, foram afetadas pela crise econômica na Europa. “Principalmente na Espanha, que não está acostumada a lidar com recessões, caso do Brasil ou mesmo de Portugal”, disse o empresário. “A venda de ingressos na Espanha por enquanto está abaixo do esperado. Mas jamais consideramos abandonar o projeto. A percepção da marca Rock in Rio em Madri é o dobro da Fórmula 1, por exemplo. Não vamos abandonar a cidade.”

Para Medina, além da América Latina, seria interessante levar o festival para a Alemanha e os Estados Unidos. “Berlim é uma cidade interessante, com um bom mercado musical e diversos espaços que podem ser utilizados. Agora, os Estados Unidos são um desafio enorme, porque a comunicação é muito complexa.”

No caso da América Latina, Medina acredita que algumas adaptações precisam ser feitas de acordo com a realidade de cada país. “No Peru, por exemplo, o mercado de patrocínio é muito pequeno, assim como o público para esse tipo de evento, de forma que imaginamos um festival um pouco menor, que dure apenas um fim de semana, de sexta a domingo. Já no México, pode ser mantido o modelo brasileiro, de sete dias de shows.”

Em Lisboa, o Rock in Rio acontece de dois em dois anos e movimenta cerca de  100 milhões, além de gerar, segundo Medina, 10 mil postos temporários de trabalho. Entre as atrações deste ano estão Mettalica, Bruce Springsteen, Lenny Kravitz, Stevie Wonder, Brian Adams e Maroon 5. Segundo Medina, um sonho a ser realizado é ter na programação do evento a participação dos Rolling Stones.

Tudo o que sabemos sobre:
Rock in Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.