Pérola de Johnny Cash ressurge 33 anos depois

Canção inédita dos anos 1980, 'She Used to Love me a Lot' traz um Cash mais refinado

Jotabê Medeiros, O Estado de S. Paulo

14 de março de 2014 | 16h50

Johnny Cash ainda não cruzou a linha derradeira. Ressurgiu essa semana uma canção inédita do grande fora-da-lei do country, morto em 2003, aos 71 anos: She used to Love me a Lot. Trata-se de uma música gravada pelo cantor country David Allen Coe em 1984 em um disco chamado Darlin' Darling. Foi composta por Dennis Morgan, Charles Quillen e Kye Fleming. A versão de Johnny Cash foi gravada um pouco antes, em 1981, mas permaneceu inédita até hoje.

A música integra o álbum de inéditos Out Among the Stars, que o selo Legacy pretende lançar ainda este mês. O precioso álbum reúne desde os duetos dele com June Carter (que foi sua mulher) e Waylon Jennings até Marty Stuart na guitarra e violino. Foi gravado originalmente pela Columbia como um esforço para juntar Cash e o produtor Billy Sherrill em 1981, mas acabou engavetado. Portanto, é de fato um material nunca lançado.

O vídeo da nova canção de Cash, dirigido por John Hillcoat, é o elemento dá ainda mais força a esse ressurgimento. Em vez de um teatro de ressuscitação por aparelhos, comum nessas estratégias, Hillcoat opta por imagens cheias de abstração (flocos de neve fustigando uma estrada deserta, velhos cadilaques empoeirados, pedaços de cartazes de turnê, highways geométricas, silos de fazendas na estrada, um corvo enfastiado, closes de desempregados, projeções em paredes de madeira). Elegíaca e cortante, a voz de barítono Cash se faz urgente de novo, viva sem apelação, com a autoridade que lhe era peculiar.

O video abre com um monólogo de Johnny Cash advertindo para a grande divisão e para o fato que, agora, somos feitos prisioneiros em Wall Street.

Romântica até a medula, mas sem frescura, como convinha a Johnny Cash, a música fala de um amor perdido, uma garota que costumava amá-lo com um amor daqueles que nunca iria morrer, e que o faz pensar em fazer voltar o relógio. "Eu a vi através da janela hoje/Ela estava sentada no Silver Spoon Café/Eu já ia puxando o carro, mas algo me deu um tranco/Ela costumava me amar pra caramba".

Cash parece mais refinado na gravação - e isso se deve ao fato de que foi "anabolizada", com o uso de steel guitar e efeito tremolo, coisas que não eram

comuns em suas gravações. O responsável pela atualização tinha autorização para tal: trata-se de John Carter Cash, filho do músico. Mas a essência está ali, Cash viajando entre o rock, que ajudou a criar, e o folk, que também o alimentou, mas sempre sob o signo da country music.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.