Pernambucanos invadem palco do Auditório Ibirapuera

Siba, Junio Barreto e Ortinho fazem shows este fim de semana, mostrando cultura popular de qualidade

Pedro Henrique França, de O Estado de S. Paulo,

07 de março de 2008 | 20h06

Há uma invasão ocorrendo em São Paulo. Mas, calma: não se trata de nenhuma manifestação na Paulista ou coisas do tipo. É uma "invasão" pacífica vinda de Pernambuco, recheada de música da melhor qualidade. É o que verá quem for ao Auditório Ibirapuera este fim de semana, que será palco dos shows de Siba Veloso, Junio Barreto e Ortinho. Nesta sexta-feira, 7, e no sábado, 8, Siba se apresenta com a Fuloresta, onde mostra o repertório de Toda vez que eu dou um passo o mundo sai do lugar, um dos CDs mais elogiados no ano passado. No domingo, 9, é a vez de Junior Barreto e Ortinho, que apresentam o show 'Amigos Bons', sucesso no carnaval de Recife deste ano.  Todos eles são nomes mais conhecidos no circuito alternativo, figuras que não atraem os holofotes ditos comerciais. Mas para o músico Siba, um dos criadores do grupo Mestre Ambrósio, é, na verdade, um problema também dos meios de comunicação e do próprio mercado, que "são mais fechados". "O que faz com que limite nosso alcance ao um público potencial, que a gente sabe que existe. Há demanda para uma música brasileira mais sofistica, bem trabalhada, mas é suprida em razão de como funciona o mercado", comenta.  É exatamente o simples sofisticado que Siba propõe em seu trabalho. Ele saiu da caótica cidade grande, a São Paulo, pela calmaria da Mata Norte. Foi lá que aprofundou seu trabalho, em que a essência é a poesia rimada, com ciranda e maracatu. No primeiro disco com a Fuloresta, Siba já ia por esse caminho, mas de uma forma "mais lírica", como ele diz. "Essa poesia do segundo disco é mais direta, se comunica mais fácil com as pessoas, sem subterfúgio de palco. É as pessoas frente a frente no plano físico, pessoas que querem te entender." Mas foi dos tempos que passou em São Paulo, que Siba carregou para o álbum a leva de amigos para as participações especiais, como Céu, Antonio Pinto, Lúcio Maia, Arthur de Faria, Catatau, Beto Villares, Biu Roque, entre outros, além do encarte realizado pela dupla de grafiteiros OsGêmeos. "Todos eles, sem exceção, tem uma história profunda com a Fuloresta. São artistas que respeito muito e que seguem um caminho parecido com o nosso", diz. Para o show, Siba não irá reproduzir o disco fielmente. "É mais um compromisso com a rua mesmo. O palco é muita percussão sobre a voz, com bastante improviso, uma pegada mais aberta mesmo."  Além de cenário desenhado pelos grafiteiros que estiveram no CD, Siba conta com a presença dos amigos no palco. Nesta sexta-feira, 7, Céu, Arthur de Faria e Catatau fazem participações especiais. No sábado, 8, Arthur repete a participação, mas desta vez acompanhado de Jorge du Peixe e Lúcio Maia. "Eles (os convidados) vão trazer um pouco a atmosfera do disco."  Domingueira pernambucana E no domingo a invasão musical dos pernambucanos continua, mas agora com Junio Barreto e Ortinho. O primeiro traz as canções do CD homônimo, já Ortinho apresenta repertório calcado no disco Somos. Junio Barreto desenvolve sonoridades mais parecidas com as de Siba e é, talvez, nome que despontou mais nos últimos tempos, tendo sido gravado por nomes da nova geração, como Roberta Sá. Já Ortinho é mais ligado ao mangue beat. Para a apresentação, somos influências enraizadas, de Pernambuco, e trazem convidados: Mariana Aydar, Lirinha (Cordel do Fogo Encantado) e Clayton. É um fim de semana musicalmente pernambucano. E imperdível. Siba e a Fuloresta. Nesta sexta-feira, 7, e sábado, 8, às 21h. R$ 30. Junio Barreto e Ortinho. Domingo, 9, 18h. R$ 30. Auditório Ibirapuera. Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, portão 2 do Parque do Ibirapuera. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.