Perfeitamente clássica, a sinfônica de Heidelberg

Perfeitamente clássica, a sinfônica de Heidelberg

Orquestra do programa do Mozarteum, é tida como perfeita guardiã do repertório clássico vienense

30 Julho 2010 | 06h00

A Orquestra Sinfônica de Heidelberg, que se apresenta em duas noites pela temporada do Mozarteum, é tida como uma perfeita guardiã do repertório clássico vienense. E os três compositores escolhidos para a ocasião - Haydn, Mozart e Antonio Salieri - de fato terminaram suas vidas em Viena.

 

Cada peça conduzida pelo maestro Thomas Fey tem algo de especial. ‘Sinfonia nº82 em Dó Maior - O Urso’ e ‘Sinfonia nº 92 em Sol Maior - Oxford’ são de Haydn, compositor de quem o conjunto já fez elogiadas gravações. ‘Les Horaces: Abertura’, de Salieri, é um começo de ópera que nunca teve audições no Brasil. E ‘Concerto para Piano nº 21’, de Mozart, tem solos do premiado pianista chinês Haiou Zhang.

 

Orquestra Sinfônica de Heidelberg - Sala São Paulo (1.484 lug.). Pça. Júlio Prestes, 16, Luz, 3815-6377. 2ª (2) e 3ª, 21h. R$ 75/R$ 200.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.