Percpan volta a Salvador

A nona edição do PercPan - PanoramaPercussivo Mundial - começa nesta quinta-feira, em Salvador. O festivalde percussão volta ao Teatro Castro Alves, onde foram vistassuas sete primeiras edições. No ano passado, o PercPan quase nãofoi realizado. Perdeu patrocínio, foi adiado de março para omeio do ano e acabou sendo mostrado, em novembro, no Recife. A produção admite que a edição 2002 do festival foimontada em pouco tempo. "Mas o elenco está redondo", afirmaBeth Cayres, que criou a mostra percussiva, em 1994. Na direçãomusical e artística do festival, permancem os nomes do anopassado - o compositor Gilberto Gil divide as funções com opercussionista carioca Marcos Suzano. São quatro as atrações internacionais programadas para afesta de ritmos e tambores, que vai de amanhã a sábado: acantora siberiana Sainkho Namtschylak (que já esteve em SãoPaulo, na mostra Todos os Cantos do Mundo, realizada pelo Sesc),o grupo francês Les Tambours de Bronx, o compositor einstrumentista de música eletroacústica italiano Aldo Brizzi e aRenegades Steel Orchestra, de Trinidad e Tobago. No elenco nacional estão os grupos baianos Bagunçaço eHip Hop Hoots, o grupo carioca Explosão de Elite (que tem comoconvidado o cantor e compositor Moska) e o cantor ArnaldoAntunes - na verdade, convidado de Aldo Brizzi - além dosdiretores e mestres-de-cerimônia Gilberto Gil e Marcos Suzano eda cantora Fernanda Abreu. É uma tradição do festival convidar cantores, a cadaedição. Pede-se a eles que preparem shows especiais, de acordocom o espírito do evento. Às vezes dá certo, às vezes não. MariaBethânia, quando participou, fez espetáculo de samba de roda,marcado por palmas e tambores; Rita Lee, no ano passado,limitou-se a mostrar seu espetáculo de carreira, sem mudarvírgula. Fernanda Abreu, que trabalha ritmos de pulso forte,pode fazer boa apresentação. "Ela vai apresentar um projeto especial, na linha dapercussão eletrônica, com ritmos concebidos utilizandomáquinas", antecipa Marcos Suzano. Gilberto Gil comemora a volta do PercPan a Salvador eavisa que, no ano que vem, no décimo aniversário do festival,será feita uma espécie de retrospectiva, com a volta de atraçõesinternacionais como o senegalês Doudou Rose e o grupo Tamboresdo Burundi. "Será uma grande celebração", escreveu Gil, notexto que apresenta a festa que tem início amanhã. Além dosshows, haverá workshops e encontros dos estrangeiros com gruposda tradição baiana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.