Pele de bateria dos Beatles e letras de Lennon estrelam leilão

Peça da bateria foi vendida por R$ 1,7 milhão, 4 vezes mais que o esperado; manuscrito foi levado R$ 1,3 milhão

MIKE COLLETT-WHITE, REUTERS

10 de julho de 2008 | 16h19

A pele de bateria pintada à mão que apareceu na capa do histórico álbum Sgt Pepper's Lonely Hearts Club Band, dos Beatles, foi vendida por US$ 1,1 milhão (R$ 1,7 milhão) em um leilão nesta quinta-feira, 10, preço quatro vezes maior que o esperado.   Veja também: Com shows e perucas, Liverpool marca o 1º 'Dia dos Beatles'Anunciada como "a pele de bateria mais famosa do mundo", a peça foi a estrela do leilão de itens históricos do rock e do pop da Christie's em Londres, ofuscando o outro destaque, a letra da música Give Peace a Chance escrita à mão por John Lennon. O manuscrito foi vendido por US$ 834 mil (R$ 1,3 milhão), preço bem acima do esperado, que girava em torno de US$ 500 mil. A peça foi vendida pela apresentadora e escritora Gail Renard, que tinha 16 anos quando Lennon e sua esposa Yoko Ono promoveram seu famoso Bed-In, um protesto contra a guerra no qual o casal ficou em uma cama de um quarto de hotel em Montreal em 1969. Renard e um amigo entraram no Hotel Queen Elizabeth onde os recém-casados Lennon e Ono faziam o protesto e se tornaram amigos do casal. De acordo com a Christie's, Lennon deu a Renard algumas lembranças, incluindo as letras, dizendo: "Algum dia, elas terão algum valor". Renard, que hoje tem 54 anos, disse que o preço alcançado pelo manuscrito a deixou sem palavras. "Eu nunca pensaria que chegaria a esse preço", disse à Reuters. "Eu pensei 'Quem pagaria por aquilo? Há uma crise de crédito acontecendo"'. Durante o Bed-In pela paz, Lennon e Ono abriram suas portas para a imprensa mundial. O auge do evento aconteceu quando Lennon liderou a gravação da canção Give Peace a Chance. Ao ver imagens de TV de quase um milhão de manifestantes contra a guerra do Vietnã cantando a música na frente da Casa Branca em 1969, Lennon considerou o acontecimento "um dos maiores momentos da minha vida", disse a Christie's.

Tudo o que sabemos sobre:
BeatlesleilãoJohn Lennon

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.