Pedro Mariano homenageia Elis em novo CD

O cantor Pedro Mariano traz no seu terceiro álbum, Intuição, uma homenagem à mãe, Elis Regina. Em janeiro, completaram-se 20 anos da morte da cantora e, agora, Pedro, aos 27 anos, oferece aos ouvintes uma regravação de 20 Anos Blues, que Elis gravou em álbum homônimo, de 1972, quando tinha os mesmos 27 anos que o filho tem hoje. "Decidi que homenagearia minha mãe gravando essa música", diz Pedro. "A mídia me procurou para falar sobre os 20 anos sem Elis, mas preferi não falar nada pois tenho dez anos de carreira e não gosto de ser procurado só por ser filho da minha mãe. A gravação de 20 Anos Blues, que tem mais a ver comigo do que com ela, diz tudo que penso sobre o assunto." Pedro se refere, provavelmente, aos versos que dizem "os meus pais nas minhas costas" e "eu tenho mais de 20 anos".20 Anos Blues é a última faixa de Intuição, que chama atenção pelo repertório eclético. Com naturalidade, Pedro canta desde Você Vai Ver, de Tom Jobim (interpretada em dueto com Zélia Duncan) até De Repente, de Lulu Santos e Nelson Motta - passando também por composições de Cazuza, Pato Fu e Jair Oliveira. "Se gosto de uma música eu gravo, não importa se ela é do Tom Jobim ou do Cazuza", explica o cantor. "Não fico teorizando o repertório do disco e acho que é por isso que ele é eclético. Mas Intuição não é um disco plural, ele tem uma espinha dorsal, que é o segredo do caldo de feijão."O tempero que dá identidade para a salada do repertório está nos arranjos. Repetindo a tríade do disco anterior, Intuição foi produzido pelo próprio cantor, seu pai (o pianista Cesar Camargo Mariano) e pelo músico Otavio Moraes. Os três procuraram timbres e batidas que determinassem um perfil para o disco. "Tudo depende da primeira música gravada", diz Pedro. "Quando De Repente ficou pronta, ela apontou o caminho para a uniformidade do trabalho."O disco chega às lojas com o desafio de repetir o êxito do álbum anterior de Pedro, Voz no Ouvido. Lançado em 2000 pela Trama - gravadora do meio-irmão de Pedro, João Marcello Bôscoli - vendeu 100 mil cópias, garantindo primeiro e único disco de ouro da companhia. Para o intérprete, o sucesso de seu segundo disco deve-se ao preço. "Depois de um tempo nas lojas, meu disco passou a ser vendido por R$ 8,90 e as pessoas compraram", diz. "Acho um assalto, um absurdo, um disco custar entre R$ 20 e R$ 30."Intuição chega às lojas com o "preço absurdo" de R$ 20, mas depois cairá, garante o intérprete. "Na época de lançamento ele custa mais caro. Depois cai para um valor em torno de R$ 16, o que ainda não é o ideal."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.