FELIPE RAU | ESTADÃO CONTEÚDO
FELIPE RAU | ESTADÃO CONTEÚDO

Pearl Jam, que toca em São Paulo, não vive escondido pelos próprios clássicos

Banda liderada por Eddie Vedder volta à cidade neste sábado, 14, após três anos com um novo (e velho) disco de inéditas

Pedro Antunes, O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2015 | 03h00

Lightning Bolt, décimo álbum da carreira do Pearl Jam, saiu seis meses depois da última passagem do grupo pelo Brasil. Nada daquela nova safra integrou o set list da performance responsável por encerrar os três dias de música do festival Lollapalooza Brasil, em São Paulo. A oportunidade de ouvir os novos sons de uma banda que não cansa de lançar bons discos vazou por entre os dedos dos fãs brasileiros em 2013, mas, enfim, chegou, com dois anos de atraso.

Eddie Vedder e companhia já estão no País – na última quarta-feira, 11, eles fizeram o primeiro show da turnê, em Porto Alegre. Neste sábado, 14, é dia da trupe voltar a São Paulo, no Estádio do Morumbi, ainda com ingressos à vendas. Na sequência, eles passam por Brasília (dia 17, no Estádio Nacional Mané Garrincha), Belo Horizonte (dia 20, no Estádio do Mineirão) e Rio de Janeiro (dia 22, no Estádio do Maracanã). Também há entradas para as três outras apresentações.

No show de três horas de duração, o (velho) novo álbum do grupo teve tanto destaque quanto Vs., disco de 1993 com clássicos como Go, Animal e Elderly Woman Behind the Counter in a Small Town. Nas estatísticas do show, Lightning Bolt fica apenas atrás de Ten, o primeiro do Pearl Jam.

A vantagem para aqueles que assistirão à performance aqui é justamente a familiaridade com essas canções, já em rotação desde outubro de 2013. Sirens, segundo single do álbum, ainda pode ser ouvido em rádios com alguma verve roqueira por aqui – e deve ser tão bem recebida quanto as canções com mais de 20 anos.

É a capacidade de o Pearl Jam se manter na ativa, com bons álbuns, que realmente surpreende – e merece elogios. Quatro anos depois de Backspacer, Vedder, Mike McCready (guitarra solo), Stone Gossard (guitarra base), Jeff Ament (baixo) e Matt Cameron (bateria) conseguem alternar o peso da barulheira grunge, como em Mind Your Manners, às baladas de deixar o coração na boca, como a já citada Sirens.

Antes dos shows por aqui, o Pearl Jam, que sempre se preocupou com causas humanitárias e ambientais – com programas para redução de emissão de dióxido de carbono, por exemplo –, exibirá o curta Floresta, que integra a campanha A Natureza Está Falando, narrado pelo apresentador Pedro Bial.

 

Ouça Sirens:

 

Ouça Mind Your Manners:

Veja o setlist do show da banda em Porto Alegre, na última quarta-feira, 11:

Pendulum

Release

Elderly Woman Behind the Counter in a Small Town

Mind Your Manners

Animal

Do the Evolution

Interstellar Overdrive  (cover do Pink Floyd)

Corduroy

Lightning Bolt

Faithfull

Even Flow

Got Id

Lukin

Not for You 

Sirens

Let the Records Play

Spin the Black Circle

Rearviewmirror

Bis

Last Kiss (de Wayne Cochran)

Hard to Imagine

Wishlist

Jeremy

Glorified G

Better Man

Go

Porch

Bis 2

Comfortably Numb (Pink Floyd)

Why Go

Given to Fly

Black

Alive

Fuckin’ Up (de Neil Young & Crazy Horse)

Yellow Ledbetter

 

Tudo o que sabemos sobre:
Pearl JamMúsica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.