FILIPE ARAUJO/AE
FILIPE ARAUJO/AE

Paulo Miklos prepara disco solo após saída dos Titãs

Nova formação da banda paulistana, com Beto Lee responsável pela guitarra, estreia no dia 30 de julho

Pedro Antunes, O Estado de S.Paulo

11 Julho 2016 | 20h24

Eram oito amalucados com roupas pretas e jaquetas de coro que entupiram as rádios brasileiras. Branco Mello, Sérgio Britto, Tony Bellotto, Arnaldo Antunes, Marcelo Fromer, Nando Reis, Charles Gavin e Paulo Miklos eram os capitães do rock paulistano quando o Brasil, enfim, aceitava o gênero, no início daqueles anos 1980. Diferiam das turmas do Rio de Janeiro e Brasília. Eram únicos, uma trupe arruaceira, como contou certa vez o produtor Liminha, responsável pelo icônico disco Cabeça Dinossauro, de 1986. Deles, a partir desta segunda-feira, 11, somente os três primeiros permaneceram. 

Mais um titã decidiu seguir seus próprios passos. Paulo Miklos, que na formação mais recente assumia a guitarra e compartilhava os vocais com Mello e Britto, despediu-se da banda oficialmente com um comunicado publicado no seu Facebook oficial. Ele será substituído, no instrumento, por Beto Lee, músico vencedor de um Grammy Latino, apresentador de TV e filho de Rita Lee, com quem gravou seis discos. Lee engrossa o time de músicos substitutos. As baquetas da banda, já empunhadas por gente como André Jung, depois substituído por Charles Gavin, atualmente são empunhadas por Mário Fabre. 

Miklos viajou para o Pará no domingo para dar início às gravações da série A Lei, que irá ao ar no canal por assinatura Space. Ele tem um disco solo entre seus novos planos já distante da família titânica integrada por ele nos últimos 34 anos. De acordo com informações apuradas pelo Estado, o álbum está em fase de produção. Ainda não há previsão de lançamento devida à atribulada agenda do músico e ator, atualmente também circulando o Brasil com a peça Chet Baker – Apenas um Sopro e está prestes a estrear como jurado do reality show musical The X-Factor, na Band, ainda sem previsão de estreia. 

“Queridos irmãos de banda, 34 anos são uma vida”, escreveu Miklos aos integrantes remanescentes da descrita por ele como “melhor banda de todos os tempos da música brasileira”. “Crescemos juntos, descobrimos o Brasil e o mundo. Criamos nossa marca e deixamos um legado precioso. Nossa ligação é mais do que familiar, uma vez que escolhemos trabalhar, conviver, apoiar e amar uns aos outros. Chegou a hora de alçar voo sozinho, mas levando comigo a escola e a família titânica na minha formação como artista e pessoa.” O comunicado chega ao fim com a promessa: “tenho muita música e emoção para compartilhar com vocês”. 

Os Titãs, também por meio de um comunicado enviado à imprensa e depois publicado nas redes sociais da banda paulistana, explicam que a decisão de Miklos foi pessoal, e o grupo segue “honrando compromissos assumidos e outros que venham a surgir, fazendo shows com as canções que imortalizaram o grupo e criando novas músicas e projetos”. “Os Titãs, ao longo de 34 anos de uma carreira exitosa, experimentaram várias formações sempre preservando a essência e o vigor de suas canções. Como um organismo coletivo que suplanta as individualidades que o compõem, os Titãs seguem determinados, impulsionados por inquietação e ambição artística, e orgulho das glórias conquistadas”, diz o texto. A reportagem tentou contato com a banda, mas os integrantes estão em férias. 

Miklos se junta a Arnaldo Antunes, Nando Reis e Charles Gavin integrantes da formação clássica oficializada em 1985, na busca por realizações artísticas longe da banda – Fromer morreu atropelado em 2001, aos 39 anos. O primeiro a debandar do grupo, Antunes, gravou sete discos com o grupo. O seu último como integrante original foi Tudo ao Mesmo Tempo Agora, de 1991. Ele foi seguido na fila por Reis, já em 2002, sucedido por Gavin, em 2010. Depois da até então última partida, os Titãs engataram em uma nova fase roqueira. Comemoraram o aniversário do clássico Cabeça Dinossauro em 2012 e, dois anos depois, lançaram o pesado e excelente Nheegatu, um álbum politizado, vigoroso, como se a banda voltasse no tempo, para os amalucados de roupas escuras de 1980.

Nova formação estreia no interior de São Paulo 

Beto Lee fará sua primeira apresentação como guitarrista do Titãs no Rock in Rio Pardo, em Santa Cruz do Rio Pardo, dia 30 deste mês. A entrada é gratuita. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.