Reprodução Instagram
Reprodução Instagram

Paulo Diniz, autor de 'Pingos de Amor', morre em Pernambuco

Cantor e compositor de 82 anos morreu em casa, de causas naturais, segundo a família

O Estado de S. Paulo, O Estado de S.Paulo

22 de junho de 2022 | 17h27

O cantor e compositor pernambucano Paulo Diniz morreu nesta quarta-feira (22), em sua casa, em Boa Viagem, Recife. Paulo era o autor de músicas como Bahia Comigo e Pingos de Amor, que ganhou uma regravação de sucesso feita por Paula Toller. A produção do artista informou que ele morreu por volta das 7h, de causas naturais. O velório e enterro serão restritos para amigos e familiares e vão ocorrer nesta quinta, 23, às 10h. O local não foi divulgado. Paulo Lira de Oliveira, nascido na cidade de Pesqueira em 24 de janeiro de 1940, tinha uma filha e duas enteadas, além da mulher, Iluminata Rangel, e três netos e dois bisnetos. Seu maior sucesso se deu nos anos de 1970, quando já havia se mudado para o Rio de Janeiro.

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), lamentou a morte de Paulo Diniz em uma nota oficial publicada na tarde desta quarta. “Pernambuco perdeu um grande nome da música popular”, ele disse. “Fez carreira no sudeste trabalhando ao lado de grandes nomes da música brasileira, mas sempre manteve as raízes fincadas no seu estado natal, para onde retornou consagrado. Quero externar meu pesar e minha solidariedade aos seus familiares, amigos e muitos fãs, neste momento de profunda tristeza”, completou.

A vice-governadora Luciana Santos (PCdoB) também se manifestou. “Esse pernambucano querido escreveu uma das músicas mais belas e conhecidas do nosso cancioneiro. Pingos de Amor atravessa gerações, mas não foi a única composição genial da sua lavra. Daqui, nossa homenagem nessa despedida e um abraço fraterno e solidário a Iluminata, sua esposa, e toda família, amigos e fãs — como eu — deste grande ícone da música brasileira”.

Tudo o que sabemos sobre:
Paulo Dinizmúsica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.