Paulistano Eduardo Gudin lança CD só de sambas

O paulistano Eduardo Gudin écompositor de samba e bossa nova. Mas o samba é seu forte, aponto de ser citado como referência dentro desse cenário por umanova geração de músicos. Por isso, Gudin pôs na cabeça de quefaria um CD só de sambas. Daí nasceu Um Jeito de Fazer Samba -Eduardo Gudin & Notícias Dum Brasil (Dabliú). Não foi tarefa tão fácil assim. "É que não gosto dedeixar nenhuma canção de lado", explica. Mas a partir do momentoem que decidiu que o samba seria espinha dorsal do disco, Gudinnão encontraria brechas para outro tipo de música. Ouvir o disco Um Jeito de Fazer Samba remete a umvelho estilo de fazer samba, com o apoio de suaves vocaisfemininos. Reflexo de uma reformulação de seu conjunto NotíciasDum Brasil, que agora conta com duas vocalistas, Ilana Volcov eSelma Boragian, além de um novo grupo de músicos instrumentais."É um grupo menos vocal, eu canto mais que nas outras vezes. Aspessoas cobravam isso de mim, mas não tenho coragem de ficarsozinho. As cantoras têm a função de apoio, mas também fazemsolos." Além de mais cantor, Gudin está mais compositor eviolonista. O violão aparece como a base musical de todo o CD. Omesmo vale para as canções de sua autoria - muitas delas, emparceria. Recrutou velhos parceiros, como Paulo César Pinheiro,em Boa Maré, e Elton Medeiros, em Mundo. Com Paulinho daViola, assina a segunda parceria da dupla. A primeira foi AindaMais, que Paulinho demorou anos para finalizar. Agora, os doisvêm com Sempre Se Pode Sonhar, que o compositor cariocaincluiu no repertório de sua temporada de shows em São Paulo, eGudin, em seu novo trabalho, com participação de Vânia Bastos edo próprio Paulinho. "Paulinho é um compositor de poucos parceiros. Tem opróprio tempo, a gente nunca sabe se a música vai ficar pronta",diverte-se. Para ele, Paulinho é uma de suas influências na vidacomo compositor. Conheceu ele e Elton Medeiros ainda jovenzinhoe se apropriou de muitas coisas do universo musical dos dois."Tenho comigo o universo do samba e da bossa nova. Faço músicasa partir dessas idéias." Um Jeito de Fazer Samba marca ainda a estréia de doisparceiros, Luiz Tatit e Francis Hime, além de duas regravações,Gostei de Ver, defendida por Márcia e Originais do Samba noFestival da TV Record, de 1969, e Jerônimo, famoso na voz deGermano Mathias, nos anos 80. "Gostei de Ver é minha primeiramúsica gravada. Fico pensando em como, na época, eu era umacriança fazendo música. Com Jerônimo, eu já era maisprofissional, o cara da prática."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.