DIDA SAMPAIO/ESTADÃO
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Paul McCartney se apresenta debaixo de chuva

Fãs enfrentam chuva e falta de organização em show de Paul McCartney em Brasília

Rafael Moraes Moura / BRASÍLIA, O Estado de S. Paulo

23 de novembro de 2014 | 19h51

Com mais de uma hora de atraso, sir Paul subiu ao palco às 21h10 para tocar Magical Mistery Tour, levando o público imediatamente ao êxtase e transformando as arquibancadas do Mané Garrincha numa constelação de flashs. Na terça e na quarta, é a vez de São Paulo receber a turnê Out There, que já passou por Cariacica (ES) e Rio de Janeiro.

Enfrentando chuva, vento e a falta de organização dos produtores, o público brasiliense já lota o Estádio Mané Garrincha, palco da apresentação do cantor Paul McCartney na noite deste domingo. Os organizadores estimam um público de 45 mil pessoas no primeiro show de sir Paul na capital federal, previsto para começar às 20h.

“Pelos Beatles e pelo rock vale todo sacrifício”, disse o engenheiro Gilberto Campos, ensopado, enquanto se protegia da chuva e aguardava a liberação de entrada para a arena. Os fãs ficaram irritados com as longas filas e a demora na abertura dos portões, que atrasou por cerca de 30 minutos. Houve vaias e corre-corre.

“O tempo não ajudou nem um pouco”, lamentou designer Erika Duarte, ansiosa por assistir a um show do ídolo pela primeira vez na vida. Por volta das 19h15, a chuva havia dado uma trégua ao público, sugerindo que o pior já havia passado.

Paul chegou a Brasília na manhã deste sábado. Foi flagrado andando de bicicleta no Parque da Cidade, um dos principais pontos de lazer da capital. Hoje mesmo, o eterno Beatle deve embarcar para São Paulo, onde tem shows nas próximas terça e quarta-feira.

Se o setlist previsto se confirmar, Paul deverá abrir o espetáculo com “Eight days a week”, lançada há 50 anos, mesclando o repertório com clássicos do The Beatles - “Lady Madonna”, “Eleanor Rigby”, “Something”, entre tantas outras - e canções do álbum “New”, do ano passado.

Elefante branco. A apresentação de Paul McCartney no estádio Mané Garrincha também marca mais um esforço do governo do Distrito Federal para transformar a arena um espaço multiuso.

Ao todo, o Mané recebeu até agora 10 eventos musicais, entre shows e festas – Beyoncé, Aersomith e Whitesnake já se apresentaram no estádio, que custou mais de R$ 1 bilhão aos cofres públicos.

De acordo com o governo do Distrito Federal, a arena recebeu desde a sua inauguração 1,65 milhão de pessoas e rendeu R$ 5 milhões em taxas de ocupação pelos eventos realizados. O show de Paul deve gerar uma arrecadação de R$ 500 mil.

O Mané recebeu sete jogos da Copa do Mundo, inclusive a melancólica partida entre Brasil e Holanda, que sepultou a vexaminosa participação da Seleção Brasileira no último Mundial.

Tudo o que sabemos sobre:
BrasíliaPaul McCartney

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.