Divulgação
Divulgação

Paul McCartney processa a Sony por direitos autorais dos Beatles

Cantor cobra direitos parcerias com John Lennon entre 1962 e 1971; segundo lei americana, autores podem reaver direitos após 35 anos

AP

18 Janeiro 2017 | 23h30

Paul McCartney entrou na quarta-feira, 18, com um processo em uma corte federal de Manhattan contra a Sony/ATV para cobrar direitos autorais de músicas que compôs com John Lennon nos Beatles entre setembro de 1962 e junho de 1971.

Com 267 canções, o catálogo dos Beatles pertencia a Michael Jackson (1958-2009) e foi vendido no ano passado para a Sony. 

A lei de copyright dos EUA estabelece que autores podem pedir que os direitos autorais de seus trabalhos sejam restituídos a eles depois de 35 anos, o que, no caso de Paul, vai ocorrer em 5 de outubro de 2018.

O músico, que vem lutando desde 2008 para ter seus direitos de volta, quer que a empresa declare que os direitos autorais vão voltar para ele até a data. 

Segundo comunicado da Sony, “a ação é desnecessária e prematura”. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.