REUTERS
REUTERS

Paul McCartney: 'Não eram orgias, eram encontros sexuais de cunho celestial'

Beatle fala em entrevista à revista 'GQ' sobre bastidores da vida íntima da banda

EFE / Londres, O Estado de S.Paulo

12 Setembro 2018 | 19h45

Paul McCartney negou em entrevista publicada pela revista 'GQ' que tenha participado de orgias ao longo da vida, mas descreveu como "maravilhosa" uma experiência com duas prostitutas.

"Não gosto de orgias. Pessoalmente, eu não quero ninguém frequentando, porque arruina tudo, eu acredito. Nunca participei", explicou o ex-Beatle, que ao mesmo tempo disse já ter participado de encontros sexuais.

"Não eram orgias, no meu entendimento. Eram encontros sexuais de cunho celestial, e lá havia groupies".

Além disso, o músico, de 76 anos, não teve problemas para descrever um encontro sexual que teve com duas prostitutas em Las Vegas quando ainda fazia parte dos The Beatles.

"Uma vez estivemos em Las Vegas e nosso guia nos perguntou se queríamos uma prostituta. Todos respondemos que sim e eu pedi duas", explicou McCartney, casado agora com Nancy Shevell.

"E as tive. Foi uma experiência maravilhosa, mas isso é o mais perto que cheguei de uma orgia", especificou.

"Acredito que John (Lennon) estava mais nessas coisas. Lembro de uma vez que estávamos em uma boate e conheceu um homem que o levou para casa porque sua mulher tinha imaginado John fazendo sexo com ela. Isso ocorreu e John depois se deu conta de que o marido ficou olhando", acrescentou.

Mais conteúdo sobre:
Paul McCartney

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.