Divulgação
Divulgação

Paul McCartney afirma que compõe suas músicas no banheiro

Ex-beatle disse que evita falar sobre sexo nas músicas

O Estado de S. Paulo

31 Março 2015 | 16h15

O músico britânico Paul McCartney afirmou em entrevista à revista Q Magazine divulgada nesta terça-feira que evita "escrever canções sobre sexo" e que "o banheiro é um dos lugares" onde encontra inspiração para compor.

"O mais importante na hora de compor é começar a escrever. Qualquer coisa, inclusive se a primeira frase não valer para nada. O segredo é começar. No entanto, o truque para acabar uma canção é estar sozinho. Eu gosto dos banheiros", disse McCartney, de 72 anos.

O antigo integrante dos Beatles, que acaba de colaborar com o rapper americano Kanye West na canção All Day, assegurou que prefere evitar escrever canções relacionadas com o sexo, algo que gosta "mais de fazer do que cantar".

"O sexo é algo que prefiro fazer, não gosto tanto de cantar sobre isso", respondeu McCartney ao ser questionado sobre a canção de 1972 Hi Hi Hi, que publicou junto aos Wings e que foi proibida na BBC.

Hi Hi Hi foi feita em uma época na qual o que o povo fazia era sexo e usava drogas. Suponho que cantar sobre o sexo não é um dos meus estilos", acrescentou o de Liverpool.

"Quando estou zangado não encontro uma forma de passar essa raiva para uma canção. Pois com o sexo ocorre o mesmo", explicou.

McCartney revelou também que começou a acreditar nos signos e que atribui seu talento na hora de compor canções ao fato de ser de Gêmeos.

"Todos os Gêmeos têm duas caras. Se você escutar minhas canções, verá que também são apreciados dois estilos diferentes, Ebony and Ivory, Hello Goodbye. Nunca acreditei nisso, mas agora estou começando a pensar que talvez isso seja real", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.