Paralamas concluem CD, com Herbert

Os Paralamas do Sucesso concluíram,na quinta-feira, no estúdio AR, no Rio, as gravações das basesde seu próximo CD. Será o 15º em uma carreira de 20 anos, aserem festejados em setembro. Durante os próximos meses, HerbertVianna, Bi Ribeiro e João Barone estarão finalizando o CD, quetem lançamento previsto para o último trimestre deste ano. Produzido por Carlo Bartolini (que produziu, entreoutros, Ira!, Black Alien e o disco-solo de Herbert Vianna), onovo CD dos Paralamas ainda não tem título definido e orepertório também não está fechado. O grupo gravou 20 canções,mas não pretende utilizar todas no álbum. Segundo os assessores de Herbert Vianna, ele estácantando e tocando normalmente, "como antes do acidente".Herbert caiu de ultraleve durante um passeio sobre o mar emMangaratiba, litoral sul do Rio, em fevereiro de 2001. Suamulher, Lucy, morreu no acidente. Seu único problema continuasendo a memória curta. Herbert canta em todas as faixas e compôsuma canção recente para o disco. Todas as outras foram compostasantes da queda do ultraleve. O tecladista João Fera participa de algumas faixas, maseste será eminentemente um disco dos três Paralamas, uma decisãoque já tinha sido tomada antes de Herbert cair de avião nolitoral do Rio de Janeiro. Também está acertada uma turnê após o lançamento dodisco. Os Paralamas voltarão à estrada, mas Herbert continua comproblemas de locomoção e vai tocar guitarra sentado. Herbert Vianna já tinha feito sua primeira gravaçãodesde o acidente em março. Ele gravou uma participação no novoCD de Lulu Santos, que deverá se chamar Programa e vai serlançado ainda este semestre. Além de Herbert e Lulu, tocaram osoutros dois Paralamas, Bi Ribeiro e João Barone. Os Paralamas do Sucesso tornaram-se, em 20 anos deexistência, a maior banda brasileira - e uma das maiores tambémna Argentina, onde têm um grande fã-clube. Têm como rivais, hoje, apenas bandas já extintas, como o Legião Urbana, contemporâneosde sucesso nos anos 80. Começaram a tocar em 1981, em Brasília. Depois,mudaram-se para o Rio de Janeiro e mandaram uma fita demo para aRádio Fluminense, pioneira em lançar novas bandas de rock. Com amúsica Vital e Sua Moto, tornaram-se hit instantâneo eHerbert Vianna pôde largar o emprego de despachante no aeroportodo Galeão. Em 1983, pela EMI (sua gravadora até hoje e que develançar o novo álbum da banda), puseram no mercado o álbumCinema Mudo, que teve razoável sucesso. Mas o reconhecimentoveio com o segundo disco, O Passo do Lui, de 1984, quechegou a ser incluído em relação de críticos dos anos 90 como umdos mais importantes do rock brasileiro. O disco trazia algunsdos seus maiores sucessos, como Óculos, Meu Erro,Ska e Romance Ideal. Em 1985, lançaram um disco que já levava o seu rock parauma fusão com elementos da MPB e do reggae, Selvagem?,talvez o mais importante de sua carreira. O álbum vendeu mais de700 mil cópias e emplacou canções como Alagados e Melô doMarinheiro. Herbert Vianna também começou a assumir o papel deimportante interlocutor dos jovens junto às instituiçõesbrasileiras, fazendo uma música de protesto engajada que causoupolêmica, Luís Inácio (300 Picaretas), composta a partir deuma frase do ex-deputado Luiz Inácio Lula da Silva, doPartido dos Trabalhadores. Um dos três discos-solo de Herbert, Ê Batumarê (1992), antecipou o interesse do rock por ritmos nordestinos efusões com gêneros folclóricos do Nordeste brasileiro. Elelançou outros dois discos sozinho: Santorini Blues (1997) eO Som do Sim (2000). Os outros dois integrantes dos Paralamas têm projeçãotímida em carreiras-solo. João Barone (considerado um dosmelhores bateristas do País em toda a história da músicapopular) faz participações em discos, como convidado. O baixistaBi Ribeiro esteve excursionando recentemente com uma banda dereggae. Segundo assessores do grupo, Herbert Vianna ainda nãodecidiu sobre o tratamento que fará para tentar reverter aparalisia nas pernas, mas os familiares têm esperanças que, emum ano, ele volte a andar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.