Para lembrar de Tom Jobim, 365 dias por ano

Primeiro foi Vinícius de Moraes,depois Chico Buarque, agora é a vez de Tom Jobim ser ohomenageado da agenda Anotações com Arte - 2007, idealizada porFred Rossi, com textos e edição de Oswaldo Mendes. Isso mesmo, éuma agenda, dessas com espaços para anotações diárias decompromissos e lazer. Porém, mais uma vez, o resultado vai bemalém - é literatura, ainda que difícil de definir, misto debiografia, poesia, crônica e reportagem. Para cada semana, umtexto, letras de música, versos, histórias de vida e arte. Asfontes de Oswaldo Mendes foram muitas, do site oficial dohomenageado às biografias já publicadas - todas devidamentecitadas nas páginas finais da agenda - até seu arquivo pessoalde dramaturgo e jornalista, de onde tirou um encontro entre Tome o ?repórter? Plínio Marcos. O resultado são textos fluentesque ora provocam riso aberto, ora emocionam. Impossível não imaginar entre risos, por exemplo, a cenaem que Tom, bêbado, num fim de tarde em Copacabana, vê de dentrodo bar Carlos Drummond passando pela calçada. Levanta-se, vai aoseu encontro e estala um beijo em seu rosto - Que é isso, TomJobim? - exclama, perplexo, o poeta. "Orgulhoso por ter sidoreconhecido, ele caiu de joelhos - Vou beijar os seus pés. E foiinútil a tentativa de Drummond de se livrar, em pânico, doassédio", conta Mendes na página da semana que vai de 13 a 19 deagosto. Com sensibilidade de escritor, Mendes capta momentosdiferentes da trajetória do artista e da história do País paraampliar significados. É o que faz ao contar sobre a famosa vaiaà canção "Sabiá", no 3.º Festival Internacional da Canção, em1968. Chico Buarque vem da Itália, a pedido de Tom, para darforça na final. "Sabiá" venceu o festival sob as vaias dopúblico, que naqueles tempos negros de ditadura torcia para"Caminhando (Pra não Dizer Que não Falei de Flores"), de GeraldoVandré. "Curiosamente, dez anos depois, com a anistia política,os versos da canção - ´vou voltar, sei que ainda vou voltar´ -ganham conotação política e parecem falar dos anistiados." A amizade com parceiros como Vinícius e Chico; ainfluência exercida pela avô Azor Brasileiro de Almeida; arelação difícil com Elis Regina; a gravação feita com Sinatra; otexto sobre Tom escrito por Carlos Lacerda, o carinho pormulheres e filhos - muitos são os aspectos abordados nesselivro-agenda, de escrita fluente, que pode ser lido com prazerem algumas horas, ainda que tenha sido feito para ser saboreadoao longo do ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.