Reuters
Reuters

Paparazzo que namorou Britney terá que se afastar da cantora

Justiça ordena que Adnan Ghalib se mantenha a pelo menos 230 metros de distância nos próximos três anos

Efe,

18 de março de 2009 | 19h47

A Suprema Corte de Los Angeles ordenou nesta quarta-feira, 18, que o paparazzo Adnan Ghalib, ex-namorado de Britney Spears, se mantenha pelo menos 230 metros afastado da cantora pelos próximos três anos, informou a imprensa local. Ghalib, de 36 anos, teve um caso com Britney durante a fase em que a artista enfrentou problemas psicológicos, época em que chegou a ser internada na ala psiquiátrica de um hospital universitário.

 

O fotógrafo freelance não compareceu à audiência desta quarta sobre o caso nem contestou o pedido de afastamento apresentado pelos advogados do pai de Britney, Jamie Spears. Os problemas da cantora, que a levaram a perder a guarda dos filhos, obrigaram Jamie a entrar na Justiça para assumir os assuntos legais relacionados à vida da artista.

 

Segundo os advogados do pai da cantora, Ghalib faz parte de uma conspiração que tenta tirar dele o controle sobre os negócios da filha. Também fariam parte desse grupo o antigo confidente de Britney, Osama Lutfi, mais conhecido como "Sam", e o advogado Jon Eardley.

 

No começo de abril, Lutfi e Eardley tentarão evitar que os tribunais o proíbam de se afastar da cantora. No momento, Britney excursiona pelos EUA com a turnê de divulgação de seu mais recente trabalho, Circus.

Tudo o que sabemos sobre:
Britney Spears

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.