Palco do Sesc vira "boteco" para relembrar Ataulfo Alves

O mestre do samba, Ataulfo Alves, volta à cena musical na noite de hoje em show realizado por seu filho, Ataulfo Alves Júnior, Cristina Buarque e Miltinho, no Teatro do Sesc Ipiranga. Sucessos como Ai! Que Saudade da Amélia, Laranja Madura, Atire a Primeira Pedra e Meus Tempos de Criança estão no repertório do show, que transformará o palco do teatro em um boteco. Nos intervalos da apresentação dos cantores, o jornalista Sérgio Cabral, do balcão do bar cenográfico, contará história sobre a vida do homenageado. Também serão exibidos vídeos que documentam a vida e obra do compositor. A apresentação também é uma boa oportunidade para conhecer canções pouco conhecidas como Ó Seu Oscar, Mulher do Seu Oscar, Eu Não Sou Daqui, frutos da parceria de Ataulfo com o compositor Wilson Baptista. "Cantar Ataulfo Alves é bom em qualquer lugar´, diz a intérprete Cristina Buarque, que vai cantar músicas como Meu Pranto Ninguém Vê e Lagoa Serena. Os cantores serão acompanhados pelos músicos Edmilson Capelupi (violão de sete cordas), Miltinho Tachinha (cavaquinho), Jorge Cebion e Oswaldinho da Cuíca (percussão). Produção e parcerias Ataulfo deixou em 40 anos de carreira um legado de mais de 200 composições. Entre as parcerias, destacam-se as realizadas com Sílvio Caldas, Carlos Imperial e Mário Lago, seu parceiro na criação da saudosa Amélia. A amizade entre os dois quase acabou quando Lago descobriu que Ataulfo havia modificado os versos da música para que o povo não tivesse dificuldades de entendê-la. Ataulfo, mineiro de Miraí e filho de lavradores, teve contato com a música ainda criança, quando cantava com o pai, um violonista. Quando chegou ao Rio de Janeiro, aos 18 anos, trabalhou como ajudante e chefe de um laboratório farmacêutico. O que não o impedia, nas horas de folga, de brincar com seu violão e de freqüentar rodas de samba da cidade. Seu primeiro samba gravado foi Tempo Perdido, interpretado por Carmen Miranda. Mas o sucesso veio com Saudade do Barracão. "O samba, na nossa família, vem de pai para filho. Essa homenagem foi uma idéia do Sérgio Cabral. Acho que, por maiores que sejam os modismos da música, o samba continua sempre aí", afirma Ataulfo Alves Júnior, filho do cantor morto em 1969 e que hoje estaria com 91 anos. Homenagem a Ataulfo Alves. Hoje, às 21 h. Sesc Ipiranga - Rua Bom Pastor, 822 tel.: 3340-2000. Ingressos: de R$ 6 a R$ 12.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.