Padre Marcelo canta Roberto e Erasmo

Compre o CD e ganhe o direito de concorrer a uma viagem a Roma com um padre. Parece brincadeira, mas é sério. O sorteio é um dos chamarizes de vendas do novo disco do padre Marcelo Rossi, "Paz ao Vivo", que a Universal Music distribui para as lojas a partir da segunda-feira. Agravadora aposta alto no álbum, tanto que mandou prensar meio milhão de cópias.No disco, ele gravou canções de cunho religioso de Roberto e Erasmo Carlos, como A Montanha, Nossa Senhora, O Terço, Luz Divina. Mas canta também outras músicas da dupla mais famosa da canção popular brasileira, como Amigo e Como É Grande o Meu Amor por Você.O disco, gravado ao vivo no Santuário Terço Bizantino, entre os dias 25 e 27 de setembro deste ano, dá a impressão de que a Igreja parece ter descoberto Roberto Carlos como um evangelizador mais eficiente que toda uma junta de sacerdotes católicos. Arrepia ver como os fiéis cantam, com extrema afinação, a letra de "Aleluia". Todos sabem as letras, todos conhecem o jeito como Roberto Carlos joga com as palavras - claro que há também, como suporte, um coro excepcional, com nove integrantes."Ah, se todos os ateus prestassem atenção nessa letra" diz o padre. "Deus existe, é só refletir", afirma Rossi, antes de cantar a música. Ele é um cantor limitado e sua performance sugere mais um karaokê de quermesse do que um intérprete. "Isso, canta, solta a voz!", brada o sacerdote, um catequizador de auditório, crescido e amamentado no meio televisivo. Ele atua mais como um mestre-de-cerimônias, entoando palavras de ordem entre os versos.Declama triunfalmente a letra de O Homem, tendo o saxofonista Milton Guedes no acompanhamento. "Eu posso dizer: morrer não é o fim!" Roberto Carlos é messiânico em seu discurso religioso, mas é um exímio melodista. Suplanta com grande folga a canção religiosa tradicional, adicionando-lhecoloquialismo na "conversa direta" com Deus.E com Nossa Senhora, de quem é devoto. "Se ficaram mágoas em mim, mãe, tira do meu coração", pede Roberto. Na voz da multidão, isso ganha em apelo emocional, é realmente algo forte. Nos seus agradecimentos, Rossi faz tributo especial a Roberto e Erasmo que, "durante suas trajetórias artísticas, encontraram inspiração no Criador para dar luz a essas belíssimas canções, que hoje me servem de instrumento na missão de evangelizar".Rossi preparou uma superprodução. Canta com o apoio de 36 músicos, o que inclui seções de cordas e metais. A produção e direção artística é de Max Pierre. Apesar de ceder as canções, Roberto Carlos não deu declaração sobre o álbum. Quem fala para Marcelo Rossi é o filho do ´Rei´, Segundinho.Com a decisão de Roberto de lançar o seu acústico MTV, na qual recobra sua parcela musical mais relevante, é provável que esse disco de Marcelo Rossi seja um dos mais vendidos nas festas de fim de ano. Tem todo o apelo, missionário e comercial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.