Padrasto acusa Jackson de oferecer dinheiro à família

O padrasto do menino que acusa o cantor de abuso sexual declarou ter pedido dinheiro para participar de um vídeo sobre o astro pop, durante a audiência preliminar de ontem do caso Jackson. Identificado apenas como Mr. Doe, para preservar sua imagem, o homem contou que, em uma conversa com uma pessoa não identificada do rancho de Neverland, disse que ?esta família não tem nada e você está ganhando milhões de dólares com isso; o que você vai fazer por ela??. Segundo ele, essa pessoa, então, ofereceu pagamento de estudo universitário para o menino e a compra de uma casa para a família. O depoimento do padrasto serviu para provar os argumentos da defesa de que a família do garoto tentou extorquir Jackson. Os advogados do cantor afirmam que as acusações de abuso sexual foram feitas depois que o cantor se recusou a dar dinheiro à família. A tentativa de fazer um vídeo para melhorar a imagem do cantor surgiu depois da exibição do documentário britânico Living With Michael Jackson, do jornalista Martin Bashir, no ano passado, em que o cantor afirmava dormir ao lado de garotos em sua cama. ?Mr. Doe? disse que, devido à controvérsia gerada por esse filme, Jackson contratou um detetive particular para produzir um vídeo exaltando seu bom caráter. Além disso, o padrasto disse que não pediu dinheiro apenas para Jackson, mas também para jornalistas britânicos, que lhe ofereceram US$ 15 mil por uma entrevista. Segundo ele, a família nunca aceitou o dinheiro.

Agencia Estado,

20 de agosto de 2004 | 16h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.