Pacote celebra o síndico da música brasileira

Sebastião Rodrigues Maia, o Tim Maia, penúltimo de 19 irmãos nascido em Niterói no ano da graça de 1942 e morto no Rio de Janeiro no triste ano de 1998, foi uma ponte cultural. Crooner com um dos mais amplos repertórios da música nacional - cantava soul, funk, samba, bossa nova, standards jazzísticos, canções românticas e rocks com a mesma desenvoltura -, Tim Maia abrasileirou os ritmos negros americanos, imprimindo levadas de triângulo e batida de xaxado a funks ortodoxos.Ele gravou mais de 30 discos, alguns por selo próprio, o Vitória Régia. A Paradoxx Music despejou recentemente no mercado uma série de oito CDs do "síndico" (como foi apelidado por Benjor): What a Wonderful World (Oldies But Goodies), Tim Maia Interpreta Clássicos da Bossa Nova, Amigo do Rei, Pro Meu Grande Amor, Só Você, Sorriso de Criança, Tim Maia ao Vivo, Pra sempre (este último anunciado pelo material de divulgação como um inédito do cantor).O álbum Pra sempre traz as composições Eu Te Adoro, Pro Meu Grande Amor, Pra Fazer Você Sorrir, Crazy Feelings e Eu Confesso, que teriam sido compostas e gravadas para a derradeira companheira de Tim, Adriana Silva, com quem ele viveu os últimos três anos. Além delas, traz uma gravação do megassucesso Sozinho, de Peninha (com a qual Caetano Veloso bateu seu milhão de discos) e Eu Sei Que Vou Te Amar, de Tom Jobim e Vinícius de Morais.A ausência de informações no encarte do CD - não se sabe sequer nomes de estúdios, músicos, circunstâncias e notas das gravações - leva a supor que seria de (no mínimo) uma timidez atroz lançar um disco inédito de Tim Maia nestas condições. Na verdade, é uma coletânea camuflada, com três fotos de Tim com a patroa na capinha.As canções originais do disco mostram um retorno de Tim à sua porção Marvin Gaye, com ênfase na soul music em Eu Te Adoro e um acento forte no sambalanço em Eu Confesso - que por sinal, não é inédita, como afirma a assessoria da Paradoxx: já estava no disco Pro Meu Grande Amor, de 1996, na qual Tim também cantava Oceano (Djavan), Olê Olá (Chico Buarque) e Eu Sei Que Vou Te Amar (Tom e Vinícius)."Todo brasileiro deveria ter acesso a lagostas grelhadas", dizia Tim Maia. Essas reedições, apesar de um tanto recalcitrantes, mostram o Tim de fim de carreira, oscilando entre prosaicas iscas de peixe e lagostas suculentas.

Agencia Estado,

25 de agosto de 2001 | 21h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.