Osesp apresenta drama e comédia de Puccini

A primeira, um drama denso, sobre amores incontroláveis, traição e morte; a segunda, uma comédia na qual uma família monta um estratagema para conseguir a herança de seu patrono, deixada a princípio para um monastério. "Il Tabarro" e "Gianni Schicchi" são duas jóias da produção do compositor italiano Giacomo Puccini. Cada uma tem um ato. E as duas serão interpretadas esta semana pela Sinfônica do Estado na Sala São Paulo sob regência do maestro John Neschling.As duas obras, na verdade, formam, com Suor Angelica, o Trittico, conjunto de três óperas de um ato compostas para serem apresentadas em conjunto. Mas não há nada que impeça que sejam mostradas separadas. Nas apresentações em São Paulo, os dois protagonistas, Michelle (o dono de um barco que transporta pessoal pelo rio Sena, no "Tabarro") e Schicci, serão interpretados pelo experiente barítono italiano Carlo Guelfi. De fora, vem também a soprano francesa Michelle Canniccioni, bem recomendada pela crítica internacional. Mas é importante destacar a presença de belos solistas brasileiros: a meio-soprano Denise de Freitas, a soprano Edna D´Oliveira, os tenores Luciano Botelho e Mauro Wrona e o baixo Sávio Sperando, entre outros. Sinfônica do Estado. Sala São Paulo (1.484 lug.). Pça. Júlio Prestes, s/n.º, 3337-5414. Hoje, sáb. e 2.ª, 21 h. R$ 25 a R$ 79

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.